Horas depois de ter sua contratação confirmada, o meia Wagner foi apresentado oficialmente nesta terça-feira como novo reforço do Vasco para a temporada. Mas, mais uma vez, quem roubou a cena foi o presidente do clube, Eurico Miranda, ao falar sobre a possibilidade de também anunciar em breve o atacante Luis Fabiano.

Eurico descartou uma possível disputa com a Ponte Preta para repatriar o atacante, que tenta sua liberação junto ao Tianjin Quanjian, da China, para retornar ao Brasil. “Eu não ia dizer nada, mas se o Luis Fabiano voltar, volta para o Vasco. Pronto”, declarou o mandatário.

Luis Fabiano voltou para a China no fim de semana e tenta formalizar a rescisão de seu contrato, que já está encaminhada. Havia a possibilidade de ele retornar para a Ponte Preta, clube que o lançou para o futebol profissional, mas o Vasco passou à frente e parece ter tudo certo para assinar com o atacante.

A confiança de Eurico na contratação de Luis Fabiano é tanta que ele até considerou o atacante o quarto grande reforço prometido por ele para esta temporada. De acordo com o presidente, os três nomes já anunciados pelo clube – os meias Wagner e Escudero e o atacante Muriqui – se encaixam neste perfil.

“O Wagner está vindo para o Vasco dentro de uma promessa que eu fiz e que está sendo concretizada. Ele vem porque nós consideramos que ele será um jogador muito importante para o clube. O Wagner demonstrou interesse de vestir a camisa do Vasco e por isso está aqui hoje. Estou cumprindo aquilo que falei. Aqueles que não acreditavam vão começar a ver as coisas acontecerem. Virão quatro grandes reforços, com certeza, até porque o Vasco está montando um time para ir para as cabeças. E vai para as cabeças”, afirmou.

Em suas primeiras palavras como jogador do Vasco, Wagner deu força ao discurso de Eurico e ressaltou a vontade de defender o clube. Ele também conversava com o Corinthians, que desistiu da negociação. A partir daí, deu prioridade ao time cruzmaltino e, após acertar sua rescisão com o Tianjin Teda, também da China, assinou contrato.

“Uma série de fatores contribuíram para que eu aceitasse estar aqui hoje. O principal deles, sem dúvidas, é a grandeza do Vasco. Recebi o convite do presidente Eurico Miranda. Ele me perguntou se eu queria jogar no Vasco e eu não pensei duas vezes. Minha família queria voltar ao Brasil e meus filhos foram educados no Rio. A minha esposa adora a cidade. Além disso, tem o fator Cristóvão, já trabalhamos juntos. Com certeza foi a melhor a decisão”, afirmou.