Na última segunda-feira, o Atlético anunciou que o teto retrátil da Arena da Baixada só vai ficar pronto após a disputa da Copa do Mundo. Mas, ontem, foi divulgado que para a disputa da competição, no ano que vem, o estádio vai contar com uma nova cobertura, que deve ficar pronta até o final de outubro.

Ter o estádio todo coberto nas arquibancadas é uma exigência da Fifa. Por isso, a Arena da Baixada precisa ter uma cobertura, mesmo que o sonhado teto retrátil não fique pronto para receber os jogos do Mundial. “Todos os estádios necessitam de cobertura, o que assegura mais conforto para o torcedor, que não vai correr risco algum de pegar chuva”, declarou o secretário estadual para assuntos da Copa do Mundo, Mario Celso Cunha.

A nova cobertura vai ser a base do teto, que o Atlético promete implantar após a disputa da Copa do Mundo. “O projeto é esse, o retrátil vai contemplar tudo. Mas como é uma obra particular, a CAP S/A. pode mudar algo”, argumentou Mario Celso Cunha.

A principal novidade vai ser na reta da Brasílio Itiberê, que já está com a estrutura concluída e que agora vai passar a ser coberta – antes das obras, o setor era o único que ficava a “céu aberto”.

A cobertura em si passa a ser construída logo após as vigas serem instaladas entre as arquibancadas localizadas atrás dos gols da Arena. A primeira vai ser finalizada na semana que vem, mas a segunda está com apenas 20% da instalação concluída. Simultaneamente, 42 peças metálicas serão erguidas nas laterais, sendo utilizadas como contraventamentos. “A tendência é de que no final de setembro eles concluam a estrutura metálica e aí começam a montar a cobertura”, afirmou o secretário municipal para assuntos da Copa do Mundo, Reginaldo Cordeiro.

A construção da cobertura está dentro do orçamento, enfim estabelecido, que é de R$ 265 milhões. “Já está tudo incluído. Segundo o presidente da CAP S/A. só o teto retrátil que não estava. Por isso não haverá problema nenhum”, garantiu o secretário municipal.

A expectativa é que a nova cobertura seja complementada dentro de 70 dias, sendo entregue no final de outubro. Após essa construção, o foco da CAP/SA vai passar a ser no futuro gramado, que já foi implantado e chega à Arena em dezembro – antes disso vai ser a instalado o sistema de drenagem e irrigação. Até o momento, 700 operários trabalham na conclusão do estádio, mas o número deve saltar para 1200.

A Arena da Baixada precisa estar concluída até o dia 31 de dezembro. O jogo inaugural do estádio vai ocorrer no início do ano que vem, com a data inicial prevista sendo 26 de janeiro.