Embora classifique a crise financeira do Santos como “grave”, o presidente Modesto Roma Júnior afirma que o clube tem boas perspectivas para superá-la totalmente e indiretamente cutucou os rivais. “Estamos superando a crise na primeira divisão. É a possibilidade de nos organizarmos. Outros clubes tiveram de superar crises na segunda divisão, como Corinthians e Palmeiras. O trabalho que fazemos é para que o clube não volte a sofrer com percalços que o derrubem”, afirmou o presidente em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, na Vila Belmiro. “A crise é grave, não está resolvida, longe disso. Mas a perspectiva é boa. O Santos é tão grande que as coisas vão se encaixando. O horizonte está muito bom”, avaliou o mandatário santista.

A diretoria do Santos confirmou o pagamento do 13º salário dos funcionários nesta quarta-feira, mas ainda deve aos jogadores e à comissão técnica. O presidente confirma que o clube ainda deve o salário de dezembro (funcionários e atletas) e 13º para os atletas.

O clube deve também o recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e os direitos de imagem. “Pagamos, sim. Conseguimos pagar ontem à noite o 13º. Vamos pagar, muito brevemente, o próximo mês e vamos colocar tudo em dia muito brevemente”. disse Modesto.

O presidente afirmou que o Santos vai sair da crise “com as próprias pernas” e descarta recorrer aos empréstimos do ex-presidente Marcelo Teixeira. “Não, não é uma possibilidade a ser considerada. O Santos tem que andar com suas pernas. O Marcelo Teixeira é um cara de grandeza e postura irrepreensível. Amigo meu e do Santos. O Marcelo colabora, mas o Santos tem que andar, sem muletas, com as pernas”, disse.