Não há clima de ?caça às bruxas? na Vila Capanema. Afinal, o Paraná ainda está envolvido em uma decisão e com uma vantagem respeitável sobre o Internacional. Porém, todos estão cientes das carências do grupo, que dentro de dezoito dias inicia ao desafio de retornar à primeira divisão nacional. A diretoria não fala em dispensas, mas é provável que aqueles atletas cujos contratos estão se encerrando – com raras exceções – não permaneçam no clube.

Entre maio e junho, dez atletas têm contrato findando. Entre eles, o goleiro Fabiano Heves. ?Tenho um pré-contrato para o restante da temporada. É só uma questão de ajustarmos alguns detalhes?, disse o jogador, titular da posição ao longo de toda a temporada. Outros, porém, já não alimentam a possibilidade de permanência para a disputa da Série B. É o caso de Massaro, que até foi liberado para resolver assuntos particulares. O atacante, que foi contratado por indicação do então técnico Saulo de Freitas não vingou e a partir de 4 de maio estará liberado.

Os outros jogadores com contratos se encerrando são: Daniel Cruz, Nem, Ricardo Ehle, Leonardo Dagostini, Beto, Bruno Iotti, Jefferson e Diego Ratinho, que veio do Trem-AP e sequer estreou com a camisa tricolor. Enquanto resolve essas pendências, a diretoria também atua na outra ponta, negociando possíveis reforços. O vice de futebol Durval Lara Ribeiro não cita posições ou quantidade de contratações necessárias. ?Só posso dizer que estamos atentos e vamos contar com um grupo ainda mais forte na Série B?, disse o dirigente.