O publicitário, advogado e jornalista Ernani Buchmann pôs novamente em prática seu lado escritor e estará lançando, no próximo dia 10 de dezembro, às 19h, no prédio da Secretária da Cultura, sua mais nova obra literária. Trata-se de um novo livro que tem o futebol como tema e intitulado “Quando o Futebol Andava de Trem”. O livro foi editado e impresso no parque gráfico da Imprensa Oficial do Paraná. Estarão disponíveis nas livrarias da capital aproximadamente 1500 exemplares a um custo de R$ 25,00.

Mesmo antes do lançamento, o livro já se tornou um sucesso de vendas e surpreendeu a todos na Feira do Livro de Porto Alegre, realizada entre os dias 2 e 17 deste mês. “Todos os exemplares foram vendidos e quebrou o recorde entre os exemplares paranaenses em exposição”, disse Ernani.

Aproveitando o sucesso da obra e antecipando seu lançamento, a Tribuna conversou ontem com o autor e colheu algumas informações sobre a idéia da criação do livro e seu conteúdo, entre outras coisas. Esta é a terceira obra de Ernani Buchmann e a primeira específica sobre futebol. O autor já havia publicado a seleção de crônicas “Cidades & Chuteiras”, em 1987, e a novela “Os Heróis da Liberdade”, em 1999.

Paraná-Online – Como surgiu a idéia da criação deste livro?

Ernani Buchmann – Esta é uma idéia minha de 1985 e que deixei parada por muito tempo. Originalmente eu ofereci para a Rede Ferroviária (RFFSA) e era para ser um calendário. Eles não demonstraram interesse e agora resolvi publicar por conta própria.

Paraná-Online – E do quê se trata especificamente a obra?

Ernani – Todos sabemos que o futebol teve início no Brasil através dos funcionários ingleses que trabalhavam nas ferrovias no final do século 19. Este livro relata um pedaço significativo da história dos clubes ferroviários do Brasil. Mas também vai além disso. Faz registros históricos da construção das ferrovias em território nacional e seus vínculos sobre o futebol.

Paraná-Online – Pode-se dizer que é uma leitura com sensação de viagem de trem?

Ernani – É bem isso. É uma viagem que começa na cidade de Rio Grande (RS), com a criação do primeiro clube brasileiro, o Spor Club Rio Grande, em julho de 1900, e só vai terminar em Rondônia. Isso tudo sempre acompanhando as linhas ferroviárias e os respectivos clubes que foram surgindo através delas. Mostra também o auge e a decadência destes clubes, tudo isso intrinsecamente ligado à ascenção e declínio da Rede Ferroviária.

Paraná-Online – Quanto tempo foi necessário para elaborar este projeto?

Ernani – Precise de três anos para concluir. Mas o bom é que tive muito auxílio de historiadores, amigos e, principalmente dos meus filhos Marcos e Taís.

Paraná-Online – E tem mais algum novo projeto em andamento?

Ernani – Eu vou lançar em breve um livro sobre crônicas e dentro de um ano devo estar lançando outro sobre futebol. Me aguardem!