Fernando Alonso lidera o Mundial de F-1 com 15 pontos de vantagem para Michael Schumacher, depois de seis etapas em 2006. Uma folga considerável. Mas que seria muito menor, apenas três pontos, se os grids de largada desta temporada fossem usados para simular a classificação do campeonato.

O exercício é curioso, mais ainda no dia do treino mais importante da temporada, o que define hoje o grid do GP de Mônaco – onde largar na frente é mais do que meio caminho andado para se chegar à vitória. Atribuindo-se a mesma pontuação das corridas aos oito primeiros nos grids das corridas disputadas até agora neste ano, conclui-se que a vida do espanhol seria bem mais complicada. E descobre-se que há alguns "leões de treino" que não convertem em resultados suas boas colocações de largada.

Alonso, pela pontuação deste fictício "Mundial de grid", teria 37 pontos e ainda estaria em primeiro na tabela. Mas seu vice-líder seria outro, Jenson Button, da Honda, encostado nele com 36. Schumacher apareceria em terceiro com 34. A definição do grid da sétima etapa do Mundial acontece a partir das 9h de Brasília. Ontem foi dia de folga em Mônaco.