O Equador fez sua parte, nesta quarta-feira, e segue vivo na luta por uma vaga na Copa do Mundo de 2010, que será na África do Sul. Mesmo jogando em La Paz, a seleção equatoriana se impôs em campo e derrotou a Bolívia por 3 a 1, em jogo válido pela 16.ª rodada das Eliminatórias sul-americanas.

Com o resultado positivo, o Equador subiu para 23 pontos e leva toda a sua esperança de obter a classificação ao Mundial nos dois últimos jogos da fase de classificação, em outubro – Uruguai, em Quito, e Chile, em Santiago. A Bolívia, com 12 pontos, já está eliminada.

Para vencer a partida, os equatorianos resolveram “matar” os donos da casa no início de cada tempo. Aos quatro da primeira etapa, o meia Méndez entrou na área e chutou na saída do goleiro Suárez para abrir o placar. E logo no primeiro minuto após o intervalo, Valencia praticamente definiu o confronto com um gol no contra-ataque.

A vantagem de 2 a 0 fez o Equador dominar completamente a partida. Os bolivianos não acertavam uma única jogada e ainda viram o centroavante Benítez marcar o terceiro gol numa cabeçada após o cruzamento de Valencia.

No final, aos 41 minutos, a Bolívia conseguiu o seu gol de honra com Yacerote, também de cabeça, mas o que os poucos torcedores locais que foram ao estádio Hernando Siles estavam mais interessados era mesmo em gritar pela demissão do técnico Erwin Sánchez, ídolo da seleção nos anos 90.

Ficha técnica

Bolívia 1 x 3 Equador

Bolívia – Suárez; Gatty, Rivero, Rodríguez e Bejarano; Flores (Reyes), Pachi, García (Helmuth Gutiérrez) e Limberg Gutiérrez; Marcelo Moreno e Cabrera (Yacerote). Técnico: Erwin Sánchez.

Equador – Elizaga; Fleitas, Espinoza (Guagua), Hurtado e Ayovi; Noboa, Valencia (Hidalgo), Castillo e Méndez; Benítez e Montero (Ambrosi). Técnico: Sixto Vizuete.

Gols – Méndez, aos 4 minutos do primeiro tempo; Valencia, a 1, Benítez, aos 11, e Yacerote, aos 41 minutos do segundo tempo.

Cartão amarelo – Rivero (Bolívia).

Árbitro – Héctor Baldassi (Fifa-Argentina).

Renda e público – Não disponíveis.

Local – Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia).