Emerson esteve muito perto de sair de campo neste sábado como o vilão do Corinthians. O duelo com o Ituano estava empatado por 2 a 2 quando o atacante desperdiçou um pênalti aos 40 minutos do segundo tempo, no reencontro do time com sua torcida, no Pacaembu.

Ele só não virou alvo de críticas porque o zagueiro Felipe marcou o gol salvador do Corinthians logo após a penalidade, em cabeçada na sequência de um escanteio na área. “Nos treinos eu estou uma beleza, mas no jogo está difícil”, admite o atacante, ao fim da vitória corintiana por 3 a 2, em partida válida pelo Paulistão.

O pênalti desperdiçado aumenta a pressão sobre o atacante, herói do time na final da Libertadores de 2012. Após grandes atuações no ano passado, Emerson vem oscilando na atual temporada e ainda não convenceu o técnico Tite de que merece uma vaga entre os titulares. Sua situação ficou mais difícil quando o clube contratou Alexandre Pato em janeiro.

“A vida é cheia de desafios. É a primeira vez que estou vivendo um momento assim, de não estar bem. Hoje, com 34 anos, estou vivendo um momento que não é o melhor”, reconhece o atacante, que só começou jogando neste sábado porque Tite resolveu poupar os titulares, abatidos depois da viagem cansativa do México para o Brasil.

Sem se abalar pelo desempenho irregular e pelas poucas chances entre os titulares, Emerson promete reagir na temporada. “Vou dar a volta por cima mais uma vez”, garante o experiente jogador.