A má fase do Tottenham parece não ter fim. Depois da goleada, por 7 a 2, sofrida na terça-feira para o Bayern de Munique pela Liga dos Campeões, em casa, o time de Londres foi derrotado, neste sábado, pelo Brighton & Hove Albion, fora de casa, por 3 a 0, em jogo válido pela abertura da oitava rodada do Campeonato Inglês.

Com o resultado, o Tottenham, que perdeu oito dos dez últimos jogos fora de casa pelo Inglês, continua com 11 pontos, dez atrás do líder Liverpool. O Brighton chegou aos nove pontos e se afastou um pouco da zona de rebaixamento.

Logo aos dois minutos, Hugo Lloris foi mal em uma bola cruzada da esquerda e Neal Maupay pegou o rebote para abrir o placar para o Brighton. Pior: o goleiro francês machucou o cotovelo esquerdo e precisou ser substituído por Paulo Gazzaniga.

Como tudo dá errado para o Tottenham, Jan Vertonghen sofreu uma pancada abaixo do olho esquerdo e também precisou de atendimento médico.

Empurrado pela torcida, o Brighton chegou com facilidade na área do atual vice-campeão europeu. Aos 31, o irlandês Aaron Connolly, de 19 anos, que fez sua primeira partida como titular, escorou com classe um cruzamento da esquerda. Gazzaniga defendeu parcialmente, mas o mesmo Connolly pegou o rebote para fazer o segundo gol do time da casa.

Atordoado em campo, o Tottenham quase levou o terceiro, mais uma vez com Connolly, aos 35 minutos. O técnico Mauricio Pochettino não via a hora do primeiro tempo terminar.

Na volta dos vestiários, o Tottenham deu sinais de recuperação nos primeiros minutos, mas, aos 17, Connolly fez o terceiro. Após receber lançamento pela esquerda, o jovem atacante cortou para dentro e bateu firme, sem defesa para Gazzaniga.

A partir daí, o Tottenham se perdeu totalmente no setor defensivo, mas ganhou agressividade com a entrada de Lucas Moura, aos 28 minutos. O brasileiro criou duas boas oportunidades, mas parou nas defesas de Mathew Ryan.

O Brighton, com moral, tocou a bola com tranquilidade e teve oportunidades para ampliar ainda mais o placar, levando seu torcedor ao delírio e aos gritos de “olé”.