Brasil e Colômbia fizeram nesta quarta-feira (25) um amistoso completamente diferente. O confronto fez jus ao nome amistoso, afinal dentro de campo não era a rivalidade ou a tática que importava, mas sim colocar frente a frente dois países que se uniram no final de 2016 de uma maneira que ninguém jamais esperava ou queria, mas que fez crescer uma simpatia enorme com os nossos vizinhos.

Desde o fatídico acidente com o voo da Chapecoense, que caiu no dia 29 de novembro do ano passado, os colombianos, que tanto ajudaram e homenagearam o time catarinense, mereciam uma retribuição por tudo que fizeram na ocasião. E nada mais justo que o futebol para comemorar esta nova ligação entre Brasil e Colômbia. O resultado final foi uma vitória da seleção por 1×0, gol de Dudu, mas o placar pouco importou.

O que ficará marcado deste amistoso foi o que aconteceu antes de a bola rolar. Momentos antes de os times entrarem, os sobreviventes Alan Ruschel, Neto, Follmann e Rafael Henzel, que pela primeira vez saíram de Chapecó e enfrentaram um avião para serem muito aplaudidos por todos que estiveram presentes no Estádio Nilton Santos, que não recebeu um bom público, apesar da causa, mas arrecadou R$ 1.219.675,00 aos familiares dos que se foram.

Dudu marcou o gol da vitória do Brasil. Foto: Pedro Martins/MoWa Press
Dudu marcou o gol da vitória do Brasil. Foto: Pedro Martins/MoWa Press

Depois, os jogadores da seleção da Colômbia receberam flores dos brasileiros e se abraçaram para ouvir os dois hinos nacionais. O ambiente era de festa e mais uma vez o grito de ‘Vamo Vamo Chape’ ecoou, assim como vários aplausos em lembrança àqueles que se foram no acidente.

Com a bola rolando, o jogo acabou não empolgando muito. Logo no primeiro tempo, apesar do domínio da seleção brasileira, foi a Colômbia quem chegou mais perto de marcar, em duas situações. Primeiro em um chute cruzado, logo no início, e depois Uribe cabeceou na trave. Na sequência, Weverton fez a defesa. Aliás, o goleiro do Atlético teve uma boa atuação, com três grandes defesas ao longo da partida.

Para o segundo tempo, o Brasil voltou com algumas mudanças, com as entradas de Jorge, Rodriguinho e Diego. E bastou apenas um minuto para que o placar fosse aberto. Fágner arrancou pela direita e cruzou na área. Diego Souza tentou, o goleiro defendeu, mas Dudu pegou a sobra para, de cabeça, só empurrar para as redes.

Mas foi o único momento empolgante. Depois disso, o jogo caiu ainda mais de rendimento técnico, com o Brasil jogando no campo defensivo, chamando a Colômbia na tentativa de explorar os contra-ataques. A ideia deu certo apenas uma vez, aos 32, quando Gustavo Scarpa escapou pela direita, invadiu a área e chutou cruzado, mas parou nas mãos do goleiro González. Porém, o que valeu mesmo foi o real motivo da partida

FICHA TÉCNICA

AMISTOSO
JOGO DA AMIZADE

Brasil 1×0 Colômbia

Brasil: Weverton; Fágner, Pedro Geromel, Rodrigo Caio e Fábio Santos (Jorge, intervalo); Walace, Willian Arão (Rodriguinho, intervalo), Dudu (Camilo, 33 do 2º), Lucas Lima (Gustavo Scarpa, 23 do 2º) e Robinho (Diego, intervalo); Diego Souza (Luan, 17 do 2º).
Técnico: Tite

Colômbia: González; Bocanegra, Felipe Aguilar, Tesillo e Farid Díaz (Balanta, 16 do 2º); Abel Aguilar (Cuéllar, 23 do 2º), Uribe, Macnelly Torres (Montoya, intervalo), Borja (Rangel, 23 do 2º), Copete (Vladimir Hernández, 16 do 2º); Téo Gutierrez (Berrío, intervalo).
Técnico: José Pekerman

Local: Estádio Nilton Santos (Rio de Janeiro-RJ)
Árbitro: Jorge Ignacio (FIFA-ARG)
Assistentes: Lucas Andres (FIFA-ARG) e Gabriel Chade (FIFA-ARG)
Gols: Dudu, 1 do 2º
Cartões amarelos: Pedro Geromel, Lucas Lima e Rodrigo Caio (BRA); Abel Aguilar (COL)
Público total: 18.695
Renda: R$ 1.219.675,00