O Atlético se despede de Paranaguá de maneira um tanto quanto melancólica. O rubro-negro ficou apenas no empate por 1 a 1 contra o Joinville e desperdiçou uma boa chance de entrar no G4, o grupo dos times que voltará à elite em 2013. O detalhe é que o time paranaense jogava com um atleta a mais desde os 34 minutos do primeiro tempo. A partir de agora, a nova casa do Atlético na Segundona será o estádio Janguito Malucelli, do J.Malucelli, em Curitiba.

Com o tempo frio e a chuva, o jogo demorou para engrenar. As duas equipes pouco criavam e os goleiros eram meros observadores da partida. Porém, aos 24 minutos, o jogo pegou fogo, ainda que por pouco tempo. Willian mandou um pombo sem asa indenfensável e abriu o marcador.

A festa do JEC não durou dois minutos. Aos 26, em um lance polêmico, o árbitro viu pênalti em cima de Deivid. Elias bateu no canto e deixou tudo igual. Aos 31 e 34, Bruno cometeu duas faltas e acabou expulso. Os jogadores do JEC reclamaram do excesso de rigor da arbitragem.

“A volta dos que não foram”

Quem esperava que o Atlético voltasse pronto para fazer uma blitz na área do Joinvile acabou se decepcionando. Mesmo com a vantagem númerica, o Atlético deixava a desejar na criação das jogadas. Apesar disso, o time viveu um bom momento dos 13 aos 17 minutos, em que pressionou bastante o time visitante, que ia se segurando graças ao bom desempenho do goleiro Ivan.

Aos 24 minutos, outro lance polêmico. Manoel deu a bola de graça para Lima, que foi derrubado próximo da área. O árbitro, errôneamente, assinalou pênalti. Contudo, após uma conversa entre o quarto árbitro e a bandeirinha, a arbitragem voltou atrás e assinalou falta na entrada da área. Na batida, Lima acertou em cheio o poste esquerdo de Weverton.

Sem força ofensiva, o Atlético tentava criar algo, mas esbarrava em suas deficiências. O JEC, satisfeito com o resultado, tratou de se segurar até o fim.

O próximo jogo do Atlético será diante do Ipatinga, em Ipatinga-MG.