Figueirense e Joinville fazem nesta quarta-feira, às 21 horas, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 12.ª rodada, um duelo catarinense com equipes que vivem momentos distintos no Campeonato Brasileiro.

O time alvinegro vem de duas vitórias consecutivas, ocupa a 11.ª colocação com 15 pontos e começa a se animar para disputar as posições no topo. O adversário é o atual lanterna, com apenas um triunfo em 11 jogos e somou até aqui cinco pontos. Seu objetivo inicial é não perder de vista as equipes que estão fora da zona de rebaixamento – o Goiás, 16.º colocado, tem cinco pontos a mais, o dobro do que o Joinville.

Apesar da distância na tabela de classificação, os técnicos das duas equipes optaram por táticas semelhantes na véspera da partida. Nesta terça-feira, ambos fizeram treinos com portões fechados e não revelaram as escalações.

No Figueirense, a dúvida está no ataque. O técnico Argel Fucks fez mistério sobre o substituto de Clayton, que está com a seleção brasileira sub-22 na disputa dos Jogos Pan-Americano de Toronto, no Canadá. Elias, que entrou em seu lugar na vitória contra o Flamengo, no Rio, torceu o tornozelo e foi vetado pelo departamento médico.

Com isso, Marcão, Dudu e Everaldo disputam um lugar ao lado do titular Thiago Santana. “Vamos deixar esse mistério até uma hora antes da partida. Independentemente de nomes, temos que ser competitivos e guerreiros. O jogo é duro”, comentou o treinador.

No pior time do campeonato, o mistério é sobre a formação do setor defensivo. O zagueiro Guti está suspenso por conta do terceiro cartão amarelo e não poderá entrar em campo. “Pode ser o (Rafael) Donato, o Dankler ou o Danrlei. Vou decidir uma hora antes da partida”, disse o técnico Adilson Batista.