O técnico Arsène Wenger foi punido nesta sexta-feira com uma suspensão de três jogos por causa de comentários dirigidos à arbitragem depois de o Arsenal ter sido eliminado pelo Milan nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, no último dia 6 de março. A Uefa, entidade que dirige o futebol europeu, anunciou que o seu comitê disciplinar condenou o treinador por “conduta imprópria” e ainda aplicou uma multa de 40 mil euros ao comandante.

Com a punição, o treinador francês terá de cumprir a suspensão nos três primeiros jogos da próxima edição da Liga dos Campeões, caso o Arsenal garanta classificação para a competição. Ele tem três dias para apelar contra a decisão da Uefa a partir do momento em que receber o veredicto detalhado.

Wenger fez críticas ao árbitro esloveno Damir Skomina depois de o Arsenal bater o Milan por 3 a 0, no jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, em Londres. O clube inglês foi eliminado por ter sido goleado por 4 a 0 no confronto de ida, na Itália.

Essa já é a terceira vez que Wenger é punido pela Uefa por causa de questões relacionados à arbitragem. No ano passado, ele recebeu uma partida de suspensão depois da derrota por 3 a 1 para o Barcelona, na Espanha, que também eliminou o Arsenal nas oitavas de final da Liga dos Campeões. Na ocasião, ele teve uma explosão de raiva contra o árbitro suíço Massimo Busacca, que expulsou o holandês Van Persie no duelo, em decisão considerada injusta pelo comandante.

Wenger cumpriu a suspensão no primeiro jogo do Arsenal nesta Liga dos Campeões, contra a Udinese, mas acabou achando uma forma de burlar a punição ao se comunicar com o assistente Boro Primoac por meio de um telefone celular durante o confronto. Por cometer o ato proibido, ele recebeu mais duas partidas de suspensão.