O “tempo extra” para recuperação e avaliações se esgotou. A partir de hoje, o Paraná Clube volta à sua rotina de treinos, que se estende ao menos até a segunda rodada do returno desta Série B. Os intervalos entre os jogos, a partir da próxima rodada, variam de três a oito dias, com direito a cinco partidas intermediárias até o dia 29 de agosto. Nova folga depende da tabela do segundo turno da competição, que ainda não foi desmembrada pela CBF.

O técnico Zetti dá início agora à montagem do seu time para a partida da próxima sexta-feira, contra o Ceará (21h, no Durival Britto). A princípio, sem grandes surpresas. Adepto do 4-4-2, não deve mexer na estrutura da equipe para esta partida, onde contará com a volta de jogadores importantes como o zagueiro Dirley e o volante João Paulo. Os dois não atuaram em Caxias do Sul, onde o treinador se viu obrigado a modificar a armação tática para equilibrar as ações no meio-de-campo.

Após emplacar duas vitórias seguidas, o Paraná vê no próximo jogo a chance de enfim encostar na ponta de cima da tabela. Os seis pontos recém-conquistados significaram um salto de apenas três posições na classificação. Porém, na prática, a distância que o separa do G4 (ou da segunda colocação) é de apenas três pontos. “A competição ainda está muito embolada. Vivemos um momento positivo e temos que confirmar isso com mais uma vitória diante do Ceará. Aí, encostamos de vez”, comentou o meia Dinelson.

O jogador vive a expectativa de fazer a sua primeira partida como titular, após ter entrado bem contra Vasco e Juventude. A competição pode estar apenas começando, mas enquanto busca a formação ideal (e mais equilibrada), Zetti sabe que é importante evitar um distanciamento das equipes que lideram a Série B. Por isso, havia estabelecido uma minimeta: somar o maior número de pontos em três jogos seguidos. Caso supere o Ceará, fechará esse ciclo com 100% de rendimento.

Para a comissão técnica, o Paraná atingiu uma maior estabilidade, mas ainda muito distante daquilo que Zetti considera ideal. “Temos um aproveitamento de 46,7%, aquém do necessário para subir. Mas, já recuperamos fora aqueles pontos que havíamos perdido diante da Ponte Preta”, destacou o treinador. “Estamos no caminho certo, isso posso assegurar”, diz Zetti, confiante num futuro positivo.