Diego Forlán foi o principal personagem da classificação do Internacional à decisão do primeiro turno do Campeonato Gaúcho, ao marcar os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre o Esportivo no último sábado, mas após a partida o técnico Dunga era o foco das atenções. Expulso durante o jogo, ele acusou a comissão de arbitragem de persegui-lo e chegou a utilizar os microfones da televisão à beira do campo para dizer que já esperava a expulsão.

Após a partida, o técnico diminuiu o tom, mas manteve as críticas à arbitragem. “Dizer que a expulsão era premeditada é difícil, porque ninguém sabe o que vai acontecer. Mas sabia que estava no ar, que estavam me marcando, me controlando em todos os instantes. Antes do jogo me disseram para estar atento porque senão seria expulso”, acusou.

O treinador ainda garantiu que tentou se controlar ao longo da partida e negou que tenha dado motivo para a expulsão. No lance em que o árbitro Francisco Silva Neto decretou sua exclusão, Dunga avaliou que Gabriel, do Esportivo, havia feito falta em Juan, do Inter, e não o contrário, como foi marcado.

“Na minha expulsão, a falta era a nosso favor. Não sei o que o bandeirinha falou para o árbitro, mas que eu sabia que teria algo forte hoje (domingo), sabia. Se pegarem imagens do jogo, no primeiro tempo tentei falar o mínimo possível para que não houvesse nenhuma situação adversa”, comentou.

Sobre a partida, o treinador elogiou a atuação da equipe, principalmente no segundo tempo. “O time jogou bem, se comportou bem, fez os gols e as jogadas que tinha que fazer. No primeiro tempo tivemos um pouco de dificuldade com a marcação individual, tivemos que encaixar para fazer a movimentação. No segundo tempo corrigimos algumas coisas e tudo saiu naturalmente.”