O Internacional não foi páreo para o Santos e acabou derrotado sem grandes dificuldades pela equipe paulista na última quarta-feira, por 3 a 1, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Grupo 1 da Libertadores. A atuação do time gaúcho rendeu muitas críticas ao técnico Dorival Júnior e, após a partida, ele assumiu a responsabilidade pelo resultado.

“A responsabilidade do resultado é minha inteiramente, não fujo disso. Podem até criticar, mas aconteceu uma situação em que tive que tomar uma atitude. Tive problemas e não tive como montar o time de outra forma”, declarou. “A escalação se deu em cima desses problemas, também fugi um pouco do que penso”, completou.

As principais críticas foram em relação à escalação da equipe, que entrou em campo com três volantes – Guiñazu, Bolatti e Elton – e apenas um atacante – Leandro Damião. Dorival explicou que optou por um esquema mais defensivo por ter tido problemas com Tinga e Dagoberto, além do fato de que o lateral Nei e o volante Guiñazu voltavam de lesão.

“Segunda-feira tive um problema sério com o Tinga, com o Dagoberto e o João Paulo, que nem viajou. Em seguida tive que tomar uma decisão. Tinha dois jogadores que estavam voltando depois de muito tempo sem jogar, então tive que pensar primeiro em proteger um pouco mais a equipe para depois abrir e tentar jogar”, comentou.