Por causa de uma série de irregularidades do Palmeiras, a WTorre ainda não conseguiu entregar ao clube os prédios administrativo e poliesportivo da Arena Palestra Itália, que já estão prontos há mais de dois meses. A prefeitura não liberou o habite-se da construção após a vistoria feita pelo Corpo de Bombeiros. Um dos problemas, aliás, caracterizava crime ambiental. Os problemas, no entanto, já foram resolvidos e a empresa aguarda o documento da prefeitura nos próximos dias.

A ideia da WTorre e Palmeiras era inaugurar a quadra soçaite com um jogo que contaria com Marcos e Ademir da Guia ainda em maio, mas teve de adiar a data. Tudo por causa do habite-se que não veio no prazo imaginado. A partida, agora, será agendada até o final de junho

A empresa gastou mais R$ 4 milhões (além dos R$ 80 milhões consumidos na construção dos prédios) apenas com as obras que teve de realizar nas últimas semanas. Um dos principais problemas, segundo a WTorre, era o lançamento de esgoto na rede de área pluvial, o que caracteriza crime ambiental.

Pessoas ligadas à WTorre acreditam que o Palmeiras está gostando deste atraso na entrega dos prédios, já que falta dinheiro ao clube para arrumar a casa. Alberto Strufaldi, presidente do Conselho de Orientação Fiscal e da comissão de obras da Arena, confirma que o Palmeiras está atrás de parceiros para poder viabilizar todas as instalações nos prédios. “Arredondando, precisamos de cerca de R$ 20 milhões”, contou. “O pessoal do marketing já tem algumas parcerias em negociação”.

Segundo Strufaldi, assim que o habite-se chegar, algumas modalidades já poderão se instalar na nova casa. “Vamos fazer apenas algumas obras como acabamento de piso e iluminação. E as artes marciais e o boxe, por exemplo, já poderão ir para o prédio”.

O dirigente não nega que aconteceram alguns problemas que impediram a entrega dos prédios na data certa. “Temos alguns problemas técnicos, como torneira que quebrou o eixo, e em válvulas de descarga”.