Novak Djokovic levou um susto nesta segunda-feira. O número 1 do mundo, atual campeão de Wimbledon e favorito a novo título, perdeu os dois primeiros sets para o sul-africano Kevin Anderson, pelas oitavas de final, e precisou mostrar poder de reação para buscar o empate em 2 sets a 2. Reabilitado, terá que finalizar o jogo somente na terça por causa da falta de luz natural na quadra 1 do complexo do All England Club, em Londres.

A partida foi adiada pelo árbitro brasileiro Carlos Bernardes porque a quadra 1 não tem teto retrátil, assim como a quadra central. Ele não chegou a cogitar uma mudança para a quadra maior, assim como fez a organização no sábado, no duelo entre os franceses Gilles Simon e Gael Monfils.

O adiamento do confronto acabou vindo em boa hora para Kevin Anderson. O sul-africano surpreendeu o favorito nos dois primeiros sets, mas vinha caindo de rendimento nas duas últimas parciais. Com seu conhecido bom preparo físico, Djokovic era superior ao rival e estava embalado em quadra para buscar uma grande virada.

Os dois tenistas estiveram em quadra durante 3h02min. Quando o duelo foi interrompido, o placar exibia o empate por 2 a 2: 7/6 (8/6), 7/6 (8/6), 1/6 e 6/4. Apesar do empate, o sérvio vencera os dois últimos sets com facilidade, ao contrário do que fez Anderson nas duas primeiras parciais.

O confronto foi equilibrado nos dois primeiros sets. Sem break points, a primeira parcial foi decidida no tie-break, no qual Djokovic oscilou bastante e favoreceu a vitória de Anderson. Mais confiante, o sul-africano faturou a primeira quebra de saque da partida logo no início do segundo set. O sérvio buscou o empate, mas seguiu dando chances ao adversário. No tie-break, Anderson foi mais efetivo em suas chances e venceu novamente.

Depois de seguidos vacilos, Djokovic se recuperou no terceiro set com uma atuação fulminante. Sem ter o saque ameaçado, obteve duas quebras e diminuiu a vantagem do rival no placar. O quarto set foi semelhante, embora Anderson tenha oferecido mais resistência. Cada tenista registrou 11 bolas vencedoras. A diferença esteve por conta dos seis erros não forçados do sul-africano e do baixo rendimento no saque.

Em baixa, Anderson ganhou fôlego para tentar reaver o domínio do início no quinto set, a ser disputado na terça-feira. Djokovic, por sua vez, tentará evitar a queda precoce na chave. Ele não é eliminado em Londres antes das quartas de final desde 2008, quando caiu ainda na segunda rodada.

O vencedor do duelo vai enfrentar nas quartas o croata Marin Cilic. O atual campeão do US Open avançou nesta segunda ao derrotar o norte-americano Denis Kudla por 6/4, 4/6, 6/3 e 7/5.