Novak Djokovic não teve dificuldades para confirmar seu favoritismo nas quartas de final do Torneio de Pequim, no último jogo desta sexta-feira pelo ATP 500 chinês realizado em quadras duras. Cinco vezes campeão em Pequim, onde levou o título em 2009, 2010, 2012, 2013 e 2014, o tenista sérvio se garantiu na semifinal ao arrasar o norte-americano John Isner por duplo 6/2.

Líder do ranking mundial, Djokovic acumula agora 27 vitórias em 27 jogos disputados em seis edições da competição chinesa. E neste sábado irá enfrentar um David Ferrer que se tornou seu freguês de carteirinha. Contra o espanhol, hoje sétimo tenista da ATP e quarto cabeça de chave em Pequim, o sérvio irá buscar o seu décimo triunfo seguido.

Embora já tenha batido Djokovic por cinco vezes em 20 duelos disputados, Ferrer vem de nove derrotas seguidas para o rival, sendo as duas últimas sofridas neste ano nos Masters 1000 de Miami e Roma. A última vez que o espanhol levou a melhor sobre o adversário foi no ATP Finals de 2011. Em 2010, por sua vez, os dois tenistas se enfrentaram na decisão em Pequim e o sérvio venceu por 6/2 e 6/4.

Já contra Isner, Djokovic acumulou nesta sexta a sua oitava vitória em dez partidas contra o norte-americano, hoje o 13º colocado da ATP. E desta vez o sérvio precisou de apenas 52 minutos para liquidar o rival. Além de confirmar todos os seus saques sem oferecer chances de quebra, o número 1 do mundo converteu quatro de cinco break points para encaminhar seu triunfo de forma rápida.

Isner, por sinal, não conseguiu fazer prevalecer nem a sua condição de especialista no saque, pois só ganhou 50% dos pontos que disputou quando encaixou o seu primeiro serviço, enquanto o sérvio converteu 80% dos pontos quando utilizou o primeiro saque. Assim, o norte-americano foi atropelado por Djokovic, que segue como grande favorito ao título em Pequim.