O técnico Jupp Heynckes gostaria de ficar mais um ano no comando do Bayern de Munique, mas decidiu sair para que o clube pudesse contratar Pep Guardiola para a próxima temporada, declarou, nesta sexta-feira, Uli Hoeness, presidente do clube alemão, em entrevista ao canal de TV alemão ZDF. Também nesta sexta, Heynckes disse que não tinha decidido se aposentar e confirmou que se ofereceu para ficar no cargo “se o Bayern não encontrasse um substituto adequado”.

Na última quarta-feira, o clube anunciou a contratação de Guardiola, com quem firmou um contrato por três anos, e disse que Heynckes decidiu se aposentar ao terminar desta temporada, quando se encerra o seu acordo. “Acredito que ele gostaria de ficar outro ano, claro”, disse Hoeness.

“Tenho a sensação de que teria aceitado se o tivéssemos pressionado o suficiente. Estamos agradecidos porque fez o possível para contratarmos Guardiola e que não fez um escândalo”, comentou o dirigente, ressaltando que o Bayern não poderia desperdiçar a oportunidade de contratar o técnico espanhol. “Quem sabe quando teria sido possível de novo?”, questionou.

Guardiola, que ganhou 14 títulos em quatro temporadas no Barcelona, tirou um ano sabático após deixar o clube catalão ao término da temporada passada. Ele começará a trabalhar em 1º de julho. Inicialmente, o Bayern disse que Heynckes informou ao clube antes do Natal que desejava se aposentar ao final da temporada.

Nesta sexta, Heynckes, de 67 anos, afirmou que ainda não havia tomado uma decisão sobre o seu futuro naquela época. “Não é certo que disse que terminaria a minha carreira. Gostaria de anunciar a minha própria decisão. E, de qualquer forma, temos meio ano. Eu decidirei quando me aposento”, afirmou Heynckes, que parabenizou Guardiola pela escolha. “Aqui encontrará o melhor clube europeu depois do Barcelona”, indicou.