Borges, passando por Fabão,
foi muito bem na estréia pelo
araná. Mostrou que pode
dar alegrias pra galera.

No clima positivo que tomou conta do vestiário do Paraná Clube apesar de muitos jogadores lamentarem o empate sofrido no final da partida contra o São Paulo, a diretoria do Paraná Clube anunciou a chegada de novos seis reforços. Ao que tudo indica a negociação com o empresário Oliveira Júnior está finalmente concluída. Além dos quatro jogadores do Ituano (Joelson, Juliano, Aderaldo e Jonny), outros dois contratados devem se apresentar hoje ao Tricolor.

O ala-direito Neto e o volante Rafael vêm a Curitiba para os acertos finais e já devem começar a trabalhar com o grupo a partir de amanhã. Neto vem da Internacional de Limeira, tendo sido observado em vários jogos do último Paulistão. O fato de jogar também no meio-de-campo além da lesão de Parral, que fica parado por mais de um mês, fez com que os dirigentes agilizassem a transação. Já Rafael vem do futebol catarinense (Joinville) para suprir uma carência neste setor.

Com a chegada destes dois jogadores, o grupo atinge a marca de 24 atletas. Como o objetivo é um elenco de 28 jogadores, a transação com o Ituano fecha momentaneamente o ciclo de contratações do Tricolor. ?O time está ganhando qualidade. Trabalhamos com critério, sempre buscando jogadores que foram observados em ação?, comentou o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro, que não voltou com a delegação de São Paulo. Ontem à noite, ele e os empresários da LA Sports Luiz Alberto Martins de Oliveira Filho e Rogério Bozzi Filho foram a Itu para formalizar as contratações.

?É só para bater o martelo?, assegurou Vavá, deixando claro que após um longo imbróglio finalmente Paraná, LA e Ituano chegaram a um denominador comum. Dos reforços que o Paraná traz do Ituano, a grande aposta de Durval Ribeiro é Joelson. O meia seria a peça que ainda está faltando no time, sendo um articulador de muita mobilidade, mas que joga avançado, também batendo a gol. ?O time vai ganhar corpo e incomodar muita gente?, comentou Vavá.

Destes jogadores, é possível que o meia Joelson e o zagueiro Aderaldo sejam apresentados entre hoje e amanhã. Já o meia Juliano está em fase final de recuperação de lesão muscular e precisará recuperar a forma física antes de ficar à disposição da comissão técnica. O volante Jonny, de apenas 19 anos, também se recupera de lesão e só após a plena recuperação deverá ser apresentado. Esta transação poderá abrir caminho para a vinda de outros jogadores do clube paulista, sendo que a volta do volante Pierre é um eterno sonho dos dirigentes paranistas.

Três pontos jogados fora

O Paraná Clube foi heróico, valente e mais bem organizado ao longo do jogo diante do São Paulo, sábado, no Morumbi. Mas, por falhas de finalização, volta da capital paulista com apenas um ponto, com o empate por 1 a 1, em partida válida pela segunda rodada do campeonato brasileiro 2005.

Erros de finalização resultaram em perder a oportunidade de conquistar três pontos, pois o Paraná dominou boa parte do segundo tempo e sofreu pressão no início e no final da partida.

No primeiro tempo, o São Paulo usou a tática do abafa, para roubar a bola ainda na defesa do Paraná. E deu certo. No início do confronto, o dono da casa teve um gol anulado, de Danilo, que finalizou mas Luizão e Grafite estavam impedidos no lance.

Encurralado na defesa, o Paraná contou com a sorte, pois o São Paulo criou várias chances de marcar, mostrando mais consciência. Mas o preciosismo tirou a objetividade do Tricolor paulista. O time do Morumbi teve pelo menos três ótimas chances, nos pés da dupla Luizão e Grafite.

No final da etapa, Cicinho e Borges tiveram uma disputa mais dura e ambos receberam o cartão amarelo. No lance o técnico Milton Cruz, do São Paulo, foi excluído por reclamação.

Na volta do intervalo, entretanto, foi o Paraná quem tomou conta do jogo. Logo aos três minutos abriu o placar. Edinho cobrou escanteio no centro da área e Daniel Marques – o zagueiro que estreou em substituição a Fernando Lombardi – escorou com estilo, colocando a bola no ângulo superior de Rogério Ceni, que nada pôde fazer. Empolgado com a vantagem e bem postado atrás, o Paraná se armou para os contra-ataques e passou a dominar as ações, criando muitas chances de ampliar.

Nos vinte minutos finais da partida, no entanto, o Tricolor paranaense abdicou do ataque. De tanto pressionar, Grafite foi derrubado na área, por André Marques. Na cobrança do pênalti, Luizão isolou a bola. Mas o São Paulo seguiu pressionando e, mesmo desordenado, de tanto tentar, foi premiado com um gol de Lugano. Ele aproveitou a sobra do toque de Grafite para Cicinho, se livrou de João Paulo e tocou na saída de Flávio.

CAMPEONATO BRASILEIRO 2005
2ª. Rodada
Em campo
Local: Morumbi (São Paulo).
Árbitro: Cléver Assunção Gonçalves (MG).
Guilherme Dias Camilo (MG) e Edgard Sales Abreu (MG).
Gols: André Marques, aos 3, e Lugano, aos 44 do 2.º tempo
Cartões amarelos: Cicinho, Borges, Daniel Marques e Beto
Público: não fornecido.
Renda: não divulgada.

São Paulo 1 x 1 Paraná Clube

São Paulo: Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Edcarlos (Souza); Cicinho, Mineiro (Marco Antônio), Josué, Danilo e Júnior (Diego Tardelli); Grafite e Luizão. Técnico: Milton Cruz.

Paraná: Flávio; Daniel Marques, Da Silva e João Paulo; Alex, Éverton César, Beto (Goiano), Edinho (Mário César) e Vicente; André Dias e Borges (Thiago Neves). Técnico: Lori Sandri.