O Milan ainda não encerrou as suas ações na atual janela de transferências e promete realizar ao menos mais uma contratação até o final de agosto. A diretoria, porém, garante que não vai se reforçar com o atacante Mario Balotelli, que está no Manchester City, e nem com o meia brasileiro Kaká, atualmente no Real Madrid.

Kaká defendeu o Milan entre 2003 e 2009, quando se transferiu para o futebol espanhol, onde ainda não teve o mesmo desempenho que o consagrou na Itália. Por isso, o seu retorno é um sonho antigo, mas inviável por conta dos altos valores financeiros envolvidos. “Isso de Kaká é absolutamente impossível, muito difícil”, afirmou o vice-presidente Adriano Galliani ao jornal italiano La Repubblica.

Já Balotelli declarou recentemente estar insatisfeito no Manchester City e insinuou diversas vezes ser torcedor do Milan, apesar de ter passado pela Inter de Milão. Para Galliani, porém, o setor ofensivo da equipe está bem servido. “É um grande talento, mas estamos bem servidos”, justificou.

Sem querem revelar nomes de jogadores que interessam ao Milan, o dirigente admitiu que o clube pode contratar um meia-esquerda. “O que é certo é que, se vier, será um meia-esquerda”, disse Galliani, que reclamou do baixo valor pago aos clubes pelos direitos de transmissão no futebol italiano.

“Temos uma equipe muito competitiva, então podemos começar a temporada. Então vamos ver se haverá alguma oportunidade”, afirmou. “Não temos a mesma força dos clubes ingleses ou espanhóis. Infelizmente, eu previ que ficaríamos atrás da Alemanha e aconteceu. Milan recebe 73 milhões de euros dos direitos de televisão e o Barcelona recebe 153 milhões de Barcelona. Esse é o problema”.