Anderson Tozato
Casinha disse que Dida, comentarista de TV, ?entregou? o  esquema do Tricolor na Libertadores. Ex-jogador se defende e diz que é até mais amigo do Silas, auxiliar do Paraná, do que Arce, auxiliar do Libertad.

O gerente social e de marketing do Paraná Clube, Luiz Carlos Casagrande, o Casinha, não esconde sua indignação com o comentarista de tevê e ex-jogador do Colorado e Coritiba, Dida. Segundo o dirigente paranista, Dida foi visto na concentração do Libertad, onde teria dado informações detalhadas sobre o Paraná Clube a seu ex-companheiro de Cerro Porteño, Francisco Arce. O ex-ala do Palmeiras e da seleção paraguaia é hoje auxiliar-técnico do Libertad. ?Quem me passou a informação merece toda a credibilidade e acho um absurdo que ele se preste a uma situação como essa. Um desserviço ao futebol paranaense?, disparou Casinha, ontem, na Vila Capanema. O assunto já circula nos fóruns de debate das torcidas do Tricolor.

Resposta

Dida confirmou ter conversado com Arce quinta-feira de manhã, no hotel onde o Libertad se hospedou. Mas negou ter passado qualquer informação sobre o Paraná. ?Ele (Arce) nem se preocupou com isso, pois já havia assistido aos jogos do Paraná. Hoje em dia não tem segredo. E não tinha porque fazer isso, pois sou muito mais amigo do Silas (auxiliar de Zetti) que do Arce?, defendeu-se Dida, que classificou os comentários sobre o suposto dossiê de ?desculpa de perdedor?.

Para sorte do Paraná, o prazo para lamentações é curto. A cabeça inchada poderá ser curada a partir de hoje, quando as atenções voltam-se a um desafio muito maior que a final do Estadual – reverter a vantagem do Libertad e buscar uma vaga nas quartas-de-final da Libertadores.

A viagem a Assunção será na 4.ª-feira, véspera do jogo no Defensores del Chaco. Até lá, Zetti e a comissão técnica terão a tarefa adicional de recuperar a confiança da equipe abalada por dois resultados decepcionantes em três dias.