A demora para concluir totalmente a Arena da Baixada e o adiamento do período de exclusividade da Fifa no estádio para o início de junho, podem afetar diretamente o caixa da CAP S/A dias antes do início da Copa do Mundo. Isto porque o Atlético, segundo a Fomento Paraná, não cumpriu duas condicionantes do último contrato de financiamento e, por isso, o último repasse de R$ 6,4 milhões, previsto para ontem, não foi realizado pela instituição financeira estadual.

Uma das condicionantes é, além da entrega das chaves da Arena da Baixada para a Fifa, a entrega de um check list com o cumprimento de algumas metas avalizado pelo comitê gestor, que gerencia a reforma do estádio junto com a CAP S/A. Porém, este check list não foi concluído e o Atlético informou ao banco estadual que a entrega deste relatório, conforme a condição prevista no contrato, deve acontecer apenas hoje.

Além da falha na entrega do check list da obra, mais uma condicionante ainda está pendente para que a liberação do último repasse do último contrato de financiamento firmado entre a CAP S/A e a Fomento Paraná seja feita. O Atlético precisa fazer a integralização do capital social da CAP S/A na obra, que corresponde a sua parte na reforma e ampliação do estádio. Segundo a Fomento Paraná, o Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), responsável pelas operações de crédito com o clube, está capitalizado e, mediante a comprovação dessas duas condicionantes, o montante de R$ 6,4 milhões chegará aos cofres do Atlético para a conclusão do estádio e a quitação total das dívidas com seus fornecedores, empreiteiras e colaboradores.