Sem Neymar, Ganso e Rafael, o Santos voltou a tropeçar no Brasileirão. Jogando na Vila Belmiro, neste domingo, o time paulista ficou no 0 a 0 com o Sport e repetiu o placar de sua estreia, na semana passada. O time pernambucano também somou seu segundo ponto na tabela, já que havia empatado com o Flamengo na rodada de abertura do campeonato.

Com foco voltado para a Copa Libertadores, o Santos jogou com uma equipe mista na Vila. Neymar e Rafael não puderam entrar em campo porque vão defender a seleção brasileira nos próximos três amistosos. Ganso se recupera de nova cirurgia no joelho, enquanto Borges está lesionado.

Diante destas baixas, o técnico Muricy Ramalho resolveu poupar o volante Henrique, que vinha sendo improvisado na lateral-direita, e o meia Elano para fazer testes visando os próximos jogos do Santos no Brasileirão. Assim, Rafael Galhardo, recém-contratado, Felipe Anderson, Gerson Magrão e Bernardo ganharam uma chance entre os titulares.

O JOGO – Mesmo desfalcado, o Santos começou melhor e se impôs mais na posse de bola do que em lances perigosos no primeiro tempo. Mesmo sem grande entrosamento no meio-campo, por conta das ausências de Elano e Ganso, o time da casa chegou a ter 62% de posse de bola no início. Mas quase não levava perigo no ataque.

As melhores chances só surgiram nos minutos finais da etapa. Aos 40, Felipe Anderson escapou da marcação e bateu forte da entrada da área. O goleiro Magrão fez grande defesa e evitou o gol. Dois minutos depois, Gerson Magrão e Alan Kardec iniciaram jogada que sobrou para conclusão livre de Maranhão, pela direita. O lateral pegou mal e mandou longe do gol.

O Sport, por sua vez, não chegou a ameaçar o gol de Aranha. Até trocava bons passes no meio-campo, mas tinha pouca penetração no ataque porque apostava na retranca para surpreender os anfitriões.

“Eles ficaram com 10 [jogadores] atrás da linha bola. Temos de ter paciência, porque eles só estão esperando contra-ataque. Vamos continuar tocando a bola e ter um pouco de paciência”, analisou Muricy Ramalho, durante o intervalo.

Depois da formação recuada, o Sport resolveu se arriscar no ataque no segundo tempo e quase abriu o placar aos 4 minutos. Rithelly arriscou de longe e finalizou por cima do gol. Mas a iniciativa ofensiva dos visitantes não teve sequência.

E o Santos não demorou para retomar o domínio. Aos 9, Felipe Anderson iniciou jogada com Juan, que bateu rente ao gol de Magrão. Mas, como aconteceu na primeira etapa, o time santista não conseguiu manter a consistência no ataque. Errava muitos passes no meio-campo e dependia de iniciativas individuais para ameaçar o gol pernambucano.

Aos 39, Edu Dracena quase marcou o gol da vitória santista, ao cabecear com perigo, por cima do travessão. Foi o último bom lance do jogo e do Santos, que contava com Kardec e Rentería no ataque a essa altura – Bernardo sentira lesão muscular no início da etapa final.

Os dois times voltam a campo agora somente no dia 6 de junho para a terceira rodada do Brasileirão. O Santos vai receber o Fluminense, novamente na Vila Belmiro, enquanto o Sport duelará com o Palmeiras, na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 0 x 0 SPORT

SANTOS – Aranha; Rafael Galhardo (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Gerson Magrão (Rentería); Bernardo (Henrique) e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

SPORT – Magrão; Moacir, Edcarlos, Bruno Aguiar e Rivaldo (Jheimy); Tobi, Marquinhos Paraná (Reinaldo), Rithelly e Tiaguinho; Felipe Azevedo e Marquinhos Gabriel (Renato). Técnico: Vágner Mancini.

CARTÕES AMARELOS – Edcarlos, Rafael Galhardo, Arouca, Thiaguinho.

ÁRBITRO – Márcio Chagas da Silva (RS).

RENDA – R$ 113.340,09.

PÚBLICO – 5.294 pagantes.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).