Campeão mundial como capitão da França em 1998, Didier Deschamps vem ao Brasil em junho em busca do bicampeonato, agora como treinador. E, para que a seleção francesa tenha sucesso na próxima Copa do Mundo, o técnico acredita ser importante que seus jogadores cheguem descansados à competição. O problema é que todos os 11 titulares jogam em times que devem brigar por títulos até o fim da temporada.

“A noção de descanso é algo importante. Se tivermos jogadores que atuaram um pouco menos nas semanas anteriores à Copa do Mundo, melhor, eles chegam menos cansados”, comentou o treinador, em entrevista ao site da Fifa.

Campeão como capitão, ele ressalta a importância do espírito de grupo. “Existe o talento individual, é claro, mas o mais importante é o espírito coletivo e vencedor. Vamos passar várias semanas juntos, do início da preparação ao final da competição, por isso a vida em grupo e o estado de espírito são essenciais. Não é isso que vai fazer que vençamos as partidas, mas penso que, sem isso, não seria possível obter os resultados”, declarou.

Deschamps lembra que os franceses, por regra, tendem a surpreender. “Quando está em dificuldade, o francês tem uma tendência maior de apresentar um bom desempenho. Por outro lado, quando a França é favorita, acaba não atendendo às expectativas. Na repescagem das Eliminatórias, estávamos contra a parede após termos perdido por 2 a 0 e conseguimos nos classificar. A emoção foi ainda mais intensa.”