A McLaren informou nesta quarta-feira que o espanhol Pedro de la Rosa está retornando à equipe como piloto reserva para a temporada de 2011 da Fórmula 1. Ele volta à escuderia depois de ter atuado na equipe por sete temporadas, entre 2003 e 2009, como piloto de testes.

De la Rosa ajudou a McLaren a desenvolver seus carros em um período no qual a equipe conquistou 29 vitórias e foi campeã mundial com Lewis Hamilton, em 2008. No ano passado, o espanhol guiou pela Sauber na F-1. Após andar como piloto titular desde o início da temporada, ele teve de ceder seu posto ao alemão Nick Heidfeld nas últimas cinco corridas. Em seguida, chegou a ser contratado como piloto de testes da Pirelli, que se tornou fornecedor único de pneus da categoria a partir deste ano.

“De toda as equipes para as quais eu pilotei na Fórmula 1, a McLaren é a única em que realmente me senti em casa”, afirmou o espanhol. “Então, eu estou muito animado para voltar ao time para ajudar a acelerar o desenvolvimento do (modelo) MP4-26. Lewis e Jenson (Button) já têm um relacionamento muito positivo e produtivo de trabalho. Assim, venho apenas para acrescentar o meu trabalho e tentar ajudá-los, junto com os engenheiros e com todo o pessoal da fábrica”, acrescentou.

A McLaren também anunciou que irá manter o britânico Gary Paffett como seu piloto de testes. Martin Whitmarsh, chefe da escuderia inglesa, comemorou o retorno do espanhol De la Rosa, lembrando que ele formará um quarteto forte com Paffett, Button e Hamilton.

“Sei que falo por todos, quando digo que estou realmente feliz com volta de Pedro ao time”, disse o dirigente, para depois reforçar: “Ele (De la Rosa) se une a nós com uma experiência ainda maior. Além disso, sua motivação e sua atenção aos detalhes seguem afiados como sempre. Sua contratação acrescenta uma força considerável à nossa dupla de pilotos. Com Pedro e Gary, além de Lewis e Jenson, acho que teremos um quarteto de grande talento aqui”.