O zagueiro Danilo poderá sofrer uma punição menor do que a do zagueiro Manoel, do Atlético, por causa das agressões e dos xingamentos durante a partida de quinta-feira, no Palestra Itália, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

O jogador do Palmeiras, que foi acusado de racismo, poderá ser punido com até 22 jogos de suspensão, enquanto Manoel corre o risco de ficar longe dos gramados por até 24 partidas. Os dois jogadores trocaram agressões e cusparadas no primeiro tempo do jogo, após escanteio na área palmeirense.

Por causa da cusparada, Danilo poderá ser enquadrado no artigo 254-B Código Brasileiro de Justiça Desportiva (ato hostil), que prevê suspensão de seis a doze jogos. O zagueiro do Palmeiras foi ainda acusado de ter chamado Manoel de “macaco”, o que valeu uma queixa no 23º DP, em Perdizes, São Paulo.

Caso a ofensa racista seja comprovada, Danilo poderá ser denunciado no artigo 243-G (praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão da cor), que indica suspensão de cinco a dez partidas.

Manoel, por sua vez, poderá denunciado duplamente no artigo 254-A (agressão física), por ter dado um pisão e uma cabeçada em Danilo. O artigo prevê suspensão de quatro a 12 partidas.

O procurador geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, afirmou nesta sexta-feira que o tribunal vai analisar as imagens da partida antes de fazer as denúncias. Schmitt, porém, não descartou uma suspensão preventiva aos dois jogadores, já que provavelmente não haverá tempo para julgá-los antes do segundo jogo das oitavas de final.