Ciente do erro que cometeu, o zagueiro Danilo veio a público nesta sexta-feira para dar satisfações sobre a polêmica criada pela ofensa racista que fez ao também zagueiro Manoel, do Atlético-PR. No dia seguinte à vitória por 1 a 0 do Palmeiras, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, Danilo admitiu o xingamento e ainda pediu desculpas ao jogador atleticano.

“Estou aqui para pedir desculpas, pois sei que errei. Não se cospe na cara de um homem e nem se ofende daquele maneira”, reconheceu o palmeirense, admitindo também a cusparada que deu no adversário logo após xingá-lo. “As pessoas que me conhecem sabem do meu caráter. Tudo o que aconteceu foi de jogo, mas estava de cabeça quente e afirmo que isso jamais vai se repetir”, continuou Danilo.

Mesmo flagrado pelas câmeras e microfones da TV no momento em que xingou Manoel de “macaco”, durante uma confusão na área palmeirense, o zagueiro tentou diminuir o tom racista da ofensa. “Foi uma expressão que eu usei, não foi uma ideia ou um pensamento. Poderia ter sido qualquer palavra. Sei que foi uma palavra forte, mas em nenhum momento quis mostrar qualquer ato racista.”

Segundo Danilo, ele também foi provocado. “O Manoel deu um pisão em mim e depois uma cabeçada. Me xingou de tudo quanto é coisa. Na hora, fiquei cego e reagi daquela maneira. Mas não achei que fosse dar essa repercussão. Para mim, era tudo lance de jogo, coisas que acontecem sempre. Tanto é que a imagem que fica para mim é o Manoel deixando o gramado e dizendo que estava tudo bem.”

Realmente, o zagueiro do Atlético evitou comentar o ocorrido enquanto deixava o gramado do Palestra Itália. No entanto, ele mudou de ideia momentos após o jogo e tornou público o xingamento, inclusive comparecendo a uma delegacia para prestar queixa-crime contra Danilo, o que resultou na abertura de inquérito por injúria racista. A acusação pode render de um a três anos de prisão para o palmeirense.

Diante da situação, Danilo decidiu comparecer por vontade própria ao 23.º DP na tarde desta sexta, a fim de prestar esclarecimentos sobre o caso, antes de se explicar à imprensa mais tarde, na Academia de Futebol. Já no âmbito esportivo, tanto o jogador do Palmeiras como Manoel correm o risco de serem suspensos preventivamente para a partida de volta, em Curitiba, na próxima quarta.