Um dos jogadores mais experientes do grupo convocado por Dunga para os dois primeiros jogos do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, o lateral-direito Daniel Alves pregou cautela depois da derrota por 2 a 0 para o Chile, quinta-feira, em Santiago. Para o jogador do Barcelona, a seleção não pode se abater. “Tudo que é feito com tranquilidade, os resultados são melhores. Se você tiver caos em função dos resultados, dificilmente terá equilíbrio”, disse.

O Brasil volta a campo na terça-feira, quando enfrenta a Venezuela em Fortaleza. Daniel Alves também procurou tirar o peso da partida no Castelão. “Na seleção, sempre é obrigação vencer. Algumas vezes as coisas funcionam, outras não. Mas temos de continuar acreditando no nosso trabalho. Apesar das dificuldades das Eliminatórias, todo jogo é decisivo. Temos um grupo que vai amadurecendo com a continuidade dada aos jogadores, independentemente das vitórias e derrotas”, disse.

Daniel Alves foi convocado no último sábado para a vaga de Rafinha. O jogador do Bayern de Munique pediu dispensa alegando que não estava entre as primeiras opções na lateral direita da seleção. Foi a segunda vez que Daniel Alves acabou chamado às pressas por Dunga. Na última Copa América, ele ficou na vaga de Danilo, machucado. Ainda assim, foi escalado entre os titulares diante do Chile.