Atlético quer resolver a parada dentro
da Arena. Craque da seleção chegou da
Malásia e nem pensa em ficar de fora.

Acompanhe esta partida on-line

O atacante Dagoberto mal chegou no CT do Caju e se transformou na principal estrela do time para a partida de hoje diante do Sport. Campeão do Torneio da Malásia com a seleção sub-20, ele será o grande reforço da equipe do Atlético, que tenta conseguir uma boa vitória para buscar a classificação no Recife com mais tranqüilidade. O jogo está programado para às 21h40, na Arena da Baixada, e é válido pela segunda fase da competição.

Ainda no banzo pelas mais de 30 horas de viagem, o jogador do Atlético fez um treino leve para desintoxicar e já se pôs à disposição do técnico Osvaldo Alvarez para formar dupla de ataque com Ilan. “Conversamos e já estou à disposição do professor. Esse jogo é decisivo e o pensamento é sempre ajudar a equipe”, destaca o atacante. Apesar do visível cansaço, ele não irá fugir da responsabilidade. “Antes eu via o pessoal chegar e dizer que estava cansado para caramba e pensava que era sacanagem. Agora, eu senti na pele como é que é passar um dia e meio, dois dias viajando”, pondera.

Mesmo sem ainda ter assimilado bem tantas mudanças de fuso horário, o jogador vai entrar em campo cercado de expectativas em torno da melhora do ataque atleticano, que tem levado à loucura os torcedores pelo erros seguidos. “Pude fazer bons jogos pela seleção e Deus que ajude para que eu possa manter essa fase também pelo Atlético”, aponta. Para tanto, Dagoberto terá um trabalho extra para hoje: descansar o máximo possível. “O fuso horário de 11 horas está quebrando um pouco e é meio esquisito”, dispara.

Time

A chegada de Dagoberto alivia a barra de Vadão, que vem tendo dificuldades para escalar o ataque rubro-negro. O desperdício de gols tem prejudicado demais a equipe, que tem sofrido para marcar gols e irritado a torcida. Além da presença de Dagoberto, a outra novidade do time atleticano será na meia-cancha. Com a expulsão de Kléberson, o volante Leomar e o lateral-esquerdo Ivan disputam a vaga deixada pelo pentacampeão. O treinador já definiu o substituto, mas só vai informar a escalação à imprensa momentos antes da partida.

“Nós recebemos a fita do Sport, assistimos para tirar todas as informações do Sport para pensar com calma o que é mais viável”, desconversa. Durante a semana, o treinador montou a equipe com Fabrício na meia e Ivan na lateral e fez bastantes elogios a essa forma. No entanto, Leomar também foi testado na meia com Fabrício na ala.

Titular só mesmo na seleção

O meia Kléberson, do Atlético, mantém o prestígio e foi confirmado ontem para o amistoso da seleção brasileira diante de Portugal, dia 29, na cidade de Porto. Além do atleticano, o técnico Carlos Alberto Parreira não apresentou nenhum surpresa e chamou o goleiro Marcos (Palmeiras), o zagueiro Luisão (Cruzeiro) e o meia Kaká (São Paulo). A viagem para a Europa está marcada para segunda-feira à noite. Com isso, o jogador atleticano estará de fora da partida de volta (se tiver) de sua equipe pela Copa do Brasil, contra o Sport.

Ontem, antes do treinamento, enquanto Dagoberto chegava da vitoriosa viagem à Ásia, Xaropinho recebia a notícia de que estava novamente entre os melhores jogadores do Brasil. Duas gerações de craques se encontravam no CT do Caju. “Sempre é bom poder ser lembrado, ainda mais nesse momento. Agora é trabalhar para que eu possa ter confiança e ir para lá e fazer um belo amistoso pela seleção”, analisa.

Além de manter o moral, Kléberson irá reencontrar o treinador que o transformou em celebridade mundial, Luís Felipe Scolari. “É um gostinho a mais poder rever ele, que foi uma pessoa que me deu a maior força durante a Copa do Mundo”, diz. Mas, não é só a motivação de vestir a camisa amarelinha que irá animar mais o jogador agora. Kléberson aposta que seu futebol deverá melhorar em muito também com a camisa rubro-negra.

“A motivação de ser convocado não tem melhor. Vou procurar trabalhar cada dia mais para que eu possa chegar às minhas melhores atuações novamente”. Segundo ele, a responsabilidade de atuar na seleção é maior, mas tem mais gente para segurar a pressão. “Tem outros jogadores que também são bastante cobrados e isso me deixa bastante tranquilo. O importante é manter a tranqüilidade, ir para lá e fazer um grande jogo”, finaliza.

Dos 22 convocados por Parreira, 14 participaram da campanha vitoriosa na Copa da Coréia/Japão em 2002, que deu o pentacampeonato ao Brasil. E entre os prováveis titulares, apenas Juan (ou Cris) e Zé Roberto não estavam no grupo comandado por Felipão na Ásia. O provável time para enfrentar Portugal deverá ter Marcos; Cafu, Edmílson, Juan (Cris) e Roberto Carlos; Gilberto Silva, Kléberson, Zé Roberto e Ronaldinho Gaúcho; Ronaldo e Rivaldo. Os quatro jogadores convocados ontem viajam na noite de segunda-feira para Portugal, junto com os integrantes da comissão técnica da seleção. Já os 18 atletas que atuam no exterior, chamados na semana passada, se apresentam a Parreira na manhã na terça-feira.