Rio – Uma conversa de 33 minutos com os atletas, antes do treino em área militar, na Urca, demonstrou o cuidado do técnico Cuca com o aspecto psicológico do Flamengo, que decide amanhã o título da Taça Rio. Ele conta com vários jogadores formados nas categorias de base e aposta num bom papo para estimular a equipe. ?Às vezes, uma conversa é tão ou mais importante que um treinamento.?

Cuca não quis dar detalhes sobre o encontro. Mas, de acordo com alguns atletas, ele ressaltou a importância de uma vitória contra o Fluminense para que os jogadores sejam mais respeitados e reconhecidos. ?Num foro mais íntimo, costumamos dividir os problemas e as conquistas também. Deixo o pessoal à vontade?, comentou.

O técnico vai escalar o Flamengo com três volantes: Da Silva, mais atrás, Jônatas e Júnior. Fellype Gabriel será o armador, com responsabilidade de servir os atacantes Dimba e Marcos Dener. No coletivo de ontem, titulares e reservas empataram por 1 a 1. Alessandro marcou para os suplentes. Zinho fez o gol da equipe principal. Ele começou na reserva, mas depois tomou a vaga de Marcos Dener.

Apesar da promessa da diretoria do Flamengo de tentar efeito suspensivo para punição sofrida por Júnior Baiano e Renato, suspensos pela Justiça Esportiva, Cuca não contava mais com os atletas para o clássico. Ele lamentou ainda a ausência de Caio, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo na última partida. ?Sempre tivemos problemas durante todo o campeonato. Mas não ficamos fragilizados. Quem entra, tem se saído muito bem.?

Fluminense

O técnico Abel Braga não quis anunciar a escalação do Fluminense para a decisão da Taça Rio. Ele espera pela recuperação do atacante Leandro, com dores musculares. Apesar de adiar o anúncio do time, a expectativa nas Laranjeiras é de que não haverá novidades com relação ao último jogo, contra o Vasco. E todos no clube estão otimistas quanto ao aproveitamento de Leandro.

Para o goleiro Kléber, não existe favoritismo para o confronto. Ele rebateu o boato de que o Fluminense estaria alimentando alguma superioridade sobre o adversário. ?Dentro do grupo não tem essa história, o resultado tem de ser construído lá dentro do campo, cada um brigando por cada palmo de grama, não importa a campanha até aqui, por que se o Fluminense perder tudo fica para trás?, disse Kléber.

Ele teve bom aproveitamento no treino específico de pênaltis, nesta sexta-feira, nas Laranjeiras. E disse que sabe como o atacante Dimba bate essas cobranças. ?Já defendi pelo Fluminense um pênalti cobrado por ele quando estava no Goiás.?

Vasco

O Vasco disputa hoje, às 17h, um jogo-treino contra o Duque de Caxias, em São Januário. Romário não treinou ontem, mas vai estar em campo, segundo informou o técnico Joel Santana. Outra presença certa é a do português Dominguez, recém-contratado. Será a primeira vez que ele começará na equipe como titular. Para Joel, o jogo-treino vai ser importante para a seqüência do Vasco na Copa do Brasil e servirá também como preparativo para o Campeonato Brasileiro.

Enquanto acerta o time depois da eliminação no Campeonato Carioca, o Vasco tenta um reforço para a camisa número 1. Desde 1985, a torcida do clube se acostumou a ver grandes goleiros em São Januário. Acácio, Carlos Germano, Hélton e Fábio fizeram nome no Vasco. Agora, porém, Everton, Cássio e Fabiano Borges disputam a posição. Nenhum dos três parece ter o perfil exigido pelos torcedores.

Botafogo

O atacante Guilherme está animado com a chegada do técnico Paulo César Gusmão ao Botafogo. Dedicado nos treinamentos, o jogador está perto de atingir o auge de sua forma física. ?Não posso dizer que estou 100% porque seria muita pretensão para qualquer atleta, mas hoje estou num estado que me permite correr os 90 minutos sem nenhum tipo de problema. Até a estréia do Brasileiro vou estar zero quilômetro?, garantiu.

Mesmo apontado pelo treinador como um dos prováveis artilheiros da equipe na temporada, Guilherme faz questão de repetir um discurso muito ouvido durante a semana de treinamentos da equipe alvinegra em Águas de Lindóia, no interior paulista: ninguém tem lugar garantido entre os titulares. ?Sei que vai jogar quem estiver melhor, seja um moleque de 18 anos ou alguém de 37. Mas estou vivendo uma fase boa e de repente chego ao Brasileiro com a corda toda.?