Cuca foi apontado como um dos grandes responsáveis pela vitória de virada sobre o Palmeiras no domingo, por 3 a 2, ao colocar o meia Roger e o atacante Farías no segundo tempo. Apesar da participação decisiva dos dois atletas do Cruzeiro, o treinador procurou minimizar as alterações e destacou o empenho dos jogadores.

“As mexidas só são boas quando o jogador entra bem. Se ele entra mal, não tem mexida boa. O mérito é do Farías, do Roger, do Fabinho. Mas, principalmente pela mudança de atitude que o time teve no segundo tempo, que foi geral”, avaliou Cuca, reforçando o empenho dos jogadores.

“Não é porque você tirou e colocou dois ou três que o time vai jogar bem. Mudou a atitude. A gente mudou o sistema, ajudamos no que pudemos, mas no geral o mérito é todo dos jogadores”, acrescentou o treinador.

Mesmo com a vitória, Cuca criticou o pênalti marcado sobre o zagueiro Fabrício ainda no primeiro tempo, quando o Palmeiras abriu o placar. “A penalidade máxima é muito questionável. Segura daqui e de lá, empurra. Rigor, pressão e ali o jogo estava muito equilibrado”.