O técnico Cuca apontou o árbitro Enrique Osses como o principal responsável pela derrota do Atlético Mineiro por 2 a 0 para o Newell’s Old Boys, na noite de quarta-feira, em Rosário, no jogo de ida das semifinais da Copa Libertadores. Para ele, os dois gols do time argentino foram ilegais. O treinador reclamou também do gol de Jô que foi anulado durante o segundo tempo.

“A arbitragem foi muito ruim, Não vou tirar o mérito do Newell’s, mas, em um jogo duro como esse, ele cometeu erros que foram capitais e definiram o resultado. No primeiro gol, o Rafael Marques foi seguro. No segundo, o Gilberto subiu natural na bola, além do gol de empate que fizemos e foi anulado”, disse.

A derrota deixa o Atlético-MG com a missão de vencer o Newell’s por três gols de diferença para se garantir na decisão da Libertadores. Para o atacante Diego Tardelli, o time pode reverter a vantagem do adversário. “Não tem nada decidido. Eles fizeram dois gols aqui e agente também pode fazer lá. A gente sabe da nossa força dentro de casa, então, não tem nada definido”, destacou.

O atacante Jô lembrou a força do Atlético-MG como mandante para garantir que o time pode se classificar na próxima quarta, no Independência. “Tem mais 90 minutos. Temos uma força muito grande dentro de casa. Com o apoio da torcida e a cabeça no lugar, podemos reverter o resultado. Não tem ninguém de cabeça baixa, a gente confia um no outro e sabe que não tem nada perdido”, afirmou.

O meia Ronaldinho Gaúcho reconheceu que o resultado foi ruim, mas prometeu que não vai faltar luta ao time para superar o Newell’s. “Foi um resultado que a gente não esperava, mas não está nada acabado ainda. Vamos lutar até o final e deixar sangue em campo se for preciso, mas a gente vai passar para a próxima fase. A mesma pressão que eles fizeram aqui lá vai ser em dobro”, comentou.