Desde a última sexta-feira, a Prefeitura de Curitiba passou a notificar os clubes de futebol que estejam com alvarás e licenciamentos municipais na capital. A ação tem sido feita pela Secretaria Municipal do Urbanismo e coordenada pela Secretaria do Governo Municipal, em decorrência da tragédia no CT Ninho do Urubu, do Flamengo, que vitimou dez jovens em um incêndio.

Dos 43 locais, 40 estão com com situações irregulares. Os casos envolvem ausência ou alvará vencido, atividade não condizente ou falta de documentação. As vistorias serão feitas a partir da semana que vem. Após as notificações, um prazo de 15 dias será disponibilizado para os clubes regularizarem suas pendências. Após esse prazo, caso não haja o cumprimento, as agremiações podem ser multadas.

+ Leia mais: Operário manda e desmanda quando o assunto é decisão

De acordo com os dados enviados ao jornal Gazeta do Povo, apenas o estádio do Coritiba, o Couto Pereira, que possui alojamento para categorias de base, e as sedes de São Braz e Renovicente, clubes amadores da capital, estão em dia. Moderno e modelo de Centro de Treinamento no Brasil, o CT do Caju, do Athletico, tem o alvará vencido desde 2014. O local tem 120 jogadores, de 14 a 19 anos, e possui alojamento para as categorias de base. O zagueiro Paulo André, do time profissional, também morava no espaço.

Em nota oficial, divulgada na noite desta sexta-feira (15), a diretoria do Athletico diz que tenta renovar o alvará desde o vencimento. “A citada renovação não foi possível até a presente data por questões burocráticas e documentais”, afirma o texto (leia abaixo a íntegra da nota).

O CT da Graciosa, em Colombo, e que pertence ao Coxa, e o CT Ninho da Gralha, do Paraná Clube, em Quatro Barras, não entraram na contagem por se tratar de CT’s da Região Metropolitana de Curitiba. Os municípios não informaram as atuais condições de ambos. Na capital, além do Furacão, destacam-se outros locais conhecidos que estão irregulares: Vila Olímpica (Paraná), J. Malucelli (extinto clube), Trieste Stadium (Trieste) e CT Barcelos.

Vila Olímpica é um dos locais sem alvará. Foto: Arquivo.
Vila Olímpica é um dos locais irregulares. Foto: Arquivo.

Bombeiros

Além da Prefeitura, os bombeiros começaram a fiscalizar as medidas de segurança contra incêndio e pânico nos 48 centros de treinamentos esportivos do estado cadastrados no sistema da corporação. Para o funcionamento, todo local precisa do Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros, que consiste em uma série de normas de segurança vigentes. Em esta certificação, o estabelecimento está sujeito à aplicação de multa e cassação, além de medidas como interdição e evacuação.

MP-PR

A Tribuna do Paraná também entrou em contato com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), que no momento não planeja nenhuma ação em relação ao assunto. O órgão, recentemente, está envolvido nas polêmicas da liberação da cerveja nos estádios paranaenses, que havia sido liberada e está proibida novamente, e na torcida única, projeto aceito somente pelo Athletico. O MP-SP, por exemplo, decidiu investigar os clubes para verificar possíveis irregularidades.

Leia a nota oficial do Athletico na íntegra:

O Club Athletico Paranaense, em razão de matéria publicada nos veículos de comunicação acerca da ausência de alvará de funcionamento do CAT do Caju, vem a público prestar os seguintes esclarecimentos.

O Athletico Paranaense vem buscando a devida renovação do Alvará de Funcionamento do CAT junto à Prefeitura Municipal de Curitiba (PMC), desde a data em que este expirou (31/12/2014).

A citada renovação não foi possível até a presente data por questões burocráticas e documentais consubstanciadas nos seguintes atos:

1) Subdivisão da área do imóvel onde foram construídas nossas instalações, visando separar uma faixa frontal do terreno no total de 2.124 m² para o alargamento da Estrada do Ganchinho! Pretende a PMC que o CAP doe esta faixa a ser desmembrada sem nenhum ônus para o Município!

2) Averbação das novas áreas existentes, visando regularizar documentalmente o que foi construído no CAT, para constar na matrícula todas as imobilizações do imóvel e demonstrar que estão em conformidade com a planta apresentada.

O Athletico Paranaense informa que está adotando todas as providências necessárias para que o processo de regularização ocorra de forma mais célere possível.

Ressalta-se que o CAT possui uma das melhores infraestruturas do país, sendo reconhecido nacional e internacionalmente como referência e modelo para outros clubes de futebol.

Vale dizer, que no ano de 2018, o Athletico Paranaense obteve a renovação do seu Certificado de Clube Formador, na Categoria “A”, pelo sétimo ano consecutivo, o que demonstra ser inquestionável a estrutura do local no qual desenvolve suas atividades com a Categoria de Formação.

Por fim, o Athletico Paranaense informa que mantém contato com todas as autoridades públicas competentes para que todas as fiscalizações necessárias continuem a ser feitas e que sempre primará pela segurança e bem-estar de todos os funcionários, atletas e frequentadores de suas dependências.

A Direção

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!