O Cruzeiro conta com o apoio da torcida nesta quarta-feira, às 21h45, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, para reverter a vantagem do Grêmio e conquistar a vaga na final da Copa do Brasil – na primeira partida entre as equipes, disputada em Porto Alegre, o time tricolor gaúcho venceu por 1 a 0. O elenco cruzeirense reconhece a importância desse carinho.

Para o atacante Alisson, a manifestação de torcedores que compareceram à Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, no treino desta terça-feira, para incentivar os jogadores e a notícia da venda antecipada de mais de 50 mil ingressos para o duelo motivam ainda mais o grupo para buscar a vitória – por dois gols de diferença para evitar uma disputa de pênaltis – e a consequente classificação.

“Aquela animação deles, nos empurrando os 90 minutos. A empolgação aumenta. Sabemos que vão estar nos apoiando. Vamos fazer de tudo para conseguir essa classificação para eles. Acho que todos os jogadores estão cientes do que essa partida representam para todos nós. É o jogo do ano, temos como objetivo chegar à final e conquistar esse título. Chegar e ver os torcedores aqui, nos apoiando, sem dúvida nos dá bastante confiança e aumenta mais a vontade de chegar amanhã”, destacou Alisson em entrevista coletiva.

Mas a força do adversário não é menosprezada pelo grupo celeste. O goleiro Fábio, de 36 anos, ídolo e capitão do time, garantiu que o grupo está focado e ciente da responsabilidade que o apoio dos torcedores traz. O jogador também avalia que, apesar de buscar a vitória desde o apito inicial, o time precisa tomar precauções defensivas para não ser surpreendido.

“Acho que o Mano (Menezes, técnico) sempre tem algo a falar antes das partidas e trabalhar na véspera do jogo e com certeza vai montar a equipe para buscar a vitória o tempo todo, mas bastante equilibrada, para que a gente não sofra nenhum contra-ataque ou deixe espaços para a equipe do Grêmio, de qualidade, tenha essa facilidade de armar as jogadas. Temos que estar bem próximos uns dos outros, bem compactados”, completou Fábio.

Mano Menezes optou pelo mistério e decidiu fechar o treino desta terça-feira. Algumas dúvidas ainda pairam na cabeça do treinador, especialmente no meio de campo e no ataque. A lateral direita também não está definida. A boa notícia são os retornos do meia uruguaio Arrascaeta (recuperado de um estresse na tíbia esquerda) e do meio-campista argentino Lucas Romero (que havia torcido o tornozelo esquerdo).

Estratégia semelhante foi adotada pelo técnico Renato Gaúcho no Grêmio. Os 11 jogadores que iniciarão o confronto deverão ser divulgados apenas momentos antes da partida. O treinador também impediu o acesso dos jornalistas ao treino que encerrou a preparação da equipe para o embate decisivo contra os mineiros no CT Luiz Carvalho, em Porto Alegre.

A atividade teve cerca de duas horas de duração. Segundo a assessoria de imprensa do Grêmio, a primeira parte do treino foi destinada a trabalhos e orientações sobre a estratégia para o jogo em Belo Horizonte. Depois, quando a presença dos jornalistas estava liberada, os jogadores fizeram um rachão que contou com as presenças do meia Douglas e do atacante Jael, ambos em recuperação de lesão no joelho.

Renato Gaúcho tem duas dúvidas principais para escolher o time. Uma delas é o substituto do zagueiro Pedro Geromel, que está contundido. O favorito é Bressan, que formaria uma dupla com Kannemann. Mas o zagueiro por Bruno Rodrigo corre por fora e pode surgir entre os titulares. Outra mudança pode ser o meio-campista Maicon no lugar de Arthur.

A comissão técnica gremista não esconde a preferência pelo bicampeonato seguido na Copa do Brasil, que aumentaria a vantagem do Grêmio como maior vencedor da competição, com seis títulos – o Cruzeiro, adversário na semifinal, tem quatro taças. Tanto que tem poupado atletas no Brasileirão, onde o time ocupa a vice-liderança, com 40 pontos, perdendo oportunidades de encostar no líder Corinthians, que tem 47.