O Cruzeiro respirou aliviado e escapou do rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro com uma goleada histórica sobre o Atlético-MG, neste domingo. Depois de um péssimo desempenho em todo o segundo turno da competição, a equipe derrotou o arquirrival por 6 a 1 na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), com um futebol que há muito tempo não mostrava. Exatamente o contrário do Atlético, que também teve uma campanha irregular e parecia ter encontrado seu futebol, mas entrou em campo completamente perdido e praticamente nada fez durante toda a partida.

No fim, o Cruzeiro terminou a competição nacional com 43 pontos, na 16.º posição, enquanto o Atlético-MG veio logo em seguida, com 45, em 15.º lugar.

Como era de se esperar, o jogo começou quente, com os jogadores das duas equipes mostrando bastante nervosismo. Os lances mais comuns nos primeiros minutos foram as entradas duras de ambos os lados. Mesmo com a necessidade apenas de um empate para garantir participação na Copa Sul-Americana, o Atlético-MG tentou pressionar o adversário e, para desespero da torcida celeste que lotava o estádio, teve boa chance com um lançamento de André na pequena área, mas o goleiro Rafael, que substituiu o titular Fábio, não deu bobeira e, de soco, mandou a bola para longe.

Porém, até pela necessidade, era o Cruzeiro que mandava na partida. Com atuação muito diferente das últimas rodadas, os jogadores cruzeirenses mostraram muito mais garra e o time exibiu uma bela coordenação de jogo, com toda a equipe se ajudando e, quando necessário, auxiliando na marcação do adversário. E a torcida celeste, que lotou o estádio, voltou a respirar quando Anselmo Ramon aproveitou um contra-ataque, avançou em velocidade e lançou para Roger, que tocou na saída do goleiro e pôs o Cruzeiro na frente.

O jogo seguiu bastante nervoso, mas o gol não era suficiente dar tranquilidade ao Cruzeiro, que se manteve no ataque. A pressão funcionou e, 20 minutos depois de marcar o primeiro, o mesmo Roger lançou a bola na área em uma cobrança de falta e Leandro Guerreiro subiu sozinho para cabecear para a rede.

E, apesar do céu nublado em toda a região central de Minas, a tarde era mesmo azul. Aos 33 minutos, Réver deu uma na entrada da área na frente de Wellington Paulista, que conseguiu roubar a bola e tocar para Anselmo Ramon ampliar. Para coroar o bom desempenho do time no primeiro tempo, Fabrício, já aos 45 minutos, bateu de longe, mas a bola desviou em Richarlyson e foi parar novamente no fundo da rede.

Com a larga vantagem no placar, o Cruzeiro diminuiu o ritmo ao voltar para o segundo tempo. O time preferiu fechar a defesa e se arriscar um pouco menos. Já o Atlético-MG entrou para a etapa final um pouco menos apático que nos primeiros 45 minutos, mas ainda assim não conseguiu mostrar um futebol muito eficiente. Tanto que, mesmo recuada, a equipe cruzeirense conseguiu ampliar novamente aos 11 minutos. Roger fez boa jogada individual e tocou para Wellington Paulista completar de cabeça.

Aí, sim, a goleada pareceu ter dado uma sacudida no Atlético-MG. O time passou a correr mais e tentar criar oportunidades. Mas não conseguia encontrar espaço para vencer a defesa celeste. Até que, aos 15 minutos, a bola sobrou para Leonardo Silva após uma cobrança de escanteio. O zagueiro cruzou para Réver, que precisou apenas tocar no canto para vencer o goleiro Rafael. Mas a o dia era mesmo do Cruzeiro e, no último lance da partida, em uma jogada embolada na área do Atlético-MG, Everton conseguiu empurrar para o gol para fechar a goleada.

“Foram 24 títulos que consegui aqui e não merecia sair assim”, afirmou, referindo-se ao risco de queda, o presidente do Cruzeiro, o senador Zezé Perrella (PDT-MG), que se tornou o principal alvo da torcida em meio à péssima campanha do time no Brasileirão e já anunciou sua saída da direção celeste. “Peço humildemente desculpas ao torcedor pela campanha, (mas) ele está aliviado como a gente”, desabafou Roger, principal destaque da partida de ontem.

Ficha técnica:

Cruzeiro 6 x 1 Atlético-MG

Cruzeiro – Rafael; Léo, Naldo, Victorino e Diego Renan; Fabrício, Leandro Guerreiro, Charles (Farías) e Roger (Ortigoza); Wellington Paulista e Anselmo Ramon (Everton). Técnico – Vágner Mancini.

Atlético-MG – Renan Ribeiro; Serginho (Magno Alves), Réver, Leonardo Silva (Werley) e Richarlyson; Pierre, Fillipe Souto, Carlos César e Daniel Carvalho; Bernard e André. Técnico – Cuca.

Gols: Roger, aos nove, Leandro Guerreiro, aos 28, Anselmo Ramon, aos 33, e Fabrício, aos 45 minutos do primeiro tempo; Wellington Paulista, aos 11, e Everton, aos 45 minutos do segundo tempo, para o Cruzeiro; Réver, aos 15 minutos do segundo tempo, para o Atlético-MG.

Cartões amarelos: Leandro Guerreiro, Roger e Diego Renan (Cruzeiro); Pierre e Richarlyson (Atlético-MG).

Cartões vermelhos: Wellington Paulista (Cruzeiro); Werley (Atlético-MG).

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ).

Público e renda: não disponíveis.

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).