O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do vôlei determinou nesta quarta-feira que o Sada/Cruzeiro terá de pagar uma multa de R$ 50 mil pelos insultos da torcida contra Michael, do Vôlei Futuro. O caso ocorreu durante a primeira partida entre as duas equipes pela semifinal da Superliga masculina, no último dia 1.º de abril, em Contagem (MG). O jogador do time de Araçatuba foi chamado de “bicha”, em coro, pelos torcedores do time mineiro.

O Cruzeiro foi enquadrado no artigo 243-G (praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), cuja multa máxima é de R$ 100 mil. No entanto, o tribunal resolveu não aplicar a pena máxima, já que o clube é réu primário.

A equipe de Minas Gerais ainda pode recorrer da decisão. No entanto, foi o Vôlei Futuro que ficou mais irritado com a atitude do STJD, pois pretendia que fosse aplicada uma pena mais severa – a intenção era que o Cruzeiro perdesse um mando de quadra e o próximo confronto entre as duas equipes, na próxima sexta, para decidir uma vaga na final, fosse realizado em outro ginásio.

Após o episódio no jogo em Contagem, Michael assumiu publicamente que é homossexual, enquanto o árbitro daquele duelo não relatou o ocorrido na súmula do confronto. Porém, o Vôlei Futuro encaminhou um relatório ao STJD e cobrou providências, fato que provocou a multa aplicada nesta quarta-feira.

Após o primeiro jogo da semifinal, o Cruzeiro refutou as acusações e ainda atacou o rival. “Suspeitamos que tais ‘denúncias’ sejam uma nítida manobra no sentido de intimidar a nossa equipe e nossa torcida no jogo da volta em Araçatuba, no próximo sábado”, disse o clube, em nota oficial.

No último sábado, o Vôlei Futuro venceu o Cruzeiro por 3 sets a 2, empatando a série semifinal em 1 a 1, em um jogo no qual os jogadores do time chegaram a vestir camisas rosas com o nome de Michael nas costas, antes do confronto, para apoiar o jogador. A torcida do time de Araçatuba, por sua vez, vestiu camisetas e exibiu uma grande bandeira que continham frases repudiando o preconceito contra homossexuais.

Na próxima sexta-feira, em Contagem (MG), Cruzeiro e Vôlei Futuro farão o jogo que definirá um dos finalistas da Superliga Masculina. O Sesi, que bateu o Vivo/Minas por 2 a 1 na série decisiva da outra semifinal, já está classificado para a decisão.