A crise financeira fez o Corinthians, enfim, apostar nas categorias de base. Por ordem do presidente Roberto de Andrade, os departamento de Futebol Profissional e de Formação de Atletas intensificaram o processo de integração. Os meias Matheus Pereira, Fabrício e Pedro, campeões mundiais sub-17, por exemplo, passaram a treinar entre os profissionais.

Ainda não está definido se os garotos terão chance de atuar no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil, mas a ideia é que eles comecem, aos poucos, a ser relacionados para ficar pelo menos no banco de reservas. “Não vamos fazer nada de maneira açodada, precipitada, antecipando ou suprimindo etapas”, defendeu Roberto de Andrade.

A grande aposta da diretoria é em Matheus Pereira, apelidado de Pirulão. O garoto foi eleito o melhor jogador do Mundial Sub-17 e chamou a atenção de Tite nos treinamentos. Pirulão chegou a treinar com a equipe profissional na pré-temporada, mas depois “desceu” para disputar os torneios de base. Agora, ganhou nova chance de conquistar seu espaço no elenco principal. O problema é que o Corinthians possui apenas 5% dos direitos econômicos do atleta.

Campeão de vários torneios de base no Brasil e no exterior, o Corinthians pouco aproveita os jogadores revelados pelo clube. No atual time titular, apenas o lateral-direito Fagner foi criado no Parque São Jorge. Mesmo assim, deixou o clube cedo, foi para a Europa e depois para o Vasco, só retornando ao Corinthians em 2014, já com 25 anos.