Rio – O atacante Felipe de Oliveira, de 23 anos, teve resultado positivo para seu exame antidoping, realizado em 28 de abril, após a vitória do Figueirense sobre o Santos, por 2 a 1, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela Série A do Campeonato Brasileiro. A substância encontrada na urina do jogador do time catarinense, pelo laboratório Ladetec, foi a Tetraidrocanabinol, principal metabólico da maconha.

Agora, Felipe está suspenso preventivamente e será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Se for comprovada a sua culpa, ele poderá ser suspenso por, no mínimo, 120 dias e, no máximo, 360 dias. Caso seja reincidente, será eliminado do esporte.

De acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), a possibilidade de o Figueirense perder os pontos da partida só se concretizará caso seja comprovada a sua participação no doping de Felipe. Neste caso, além dos pontos, o clube poderá ser condenado a pagar uma multa entre R$ 50 mil e R$ 500 mil. Se houver reincidência, a agremiação será eliminada do Brasileiro.