Walter Alves
Henrique (esq.) corre ao lado de Eanes pra comemorar o terceiro gol do Cori. Em tarde inspirada, time fez a torcida sorrir.

A alegria finalmente voltou ao Alto da Glória. Na hora da decisão, o Coritiba fez valer o ?peso da camisa?, goleou o J. Malucelli por 4 a 1 e continua na briga pelo 33.º título do Campeonato Paranaense.

O terremoto que abalou o Alto da Glória após a derrota de 2 a 0 para Náutico, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, mexeu com os brios dos jogadores. Determinado a dar uma resposta à torcida e diretoria, o Alviverde apresentou na tarde de ontem um bom futebol que ainda não havia conseguido mostrar em 2006.

Precisando vencer por dois gols de vantagem para passar às semifinais, o Coritiba foi dono da partida, pressionando o Jotinha desde o primeiro minuto. A torcida, que antes do jogo estava dividida entre apoiar a equipe e protestar contra a diretoria, logo percebeu que aquele era um Coxa diferente e se uniu aos atletas na busca pela classificação.

Numa tarde em que todo o time mereceu os aplausos, Jackson e Eanes foram os destaques. Com objetividade e até alguns lances de efeito, eles deixaram perdida a defesa do Caçula, que acusou a pressão alviverde e não foi sombra da equipe que dominou o Coritiba e venceu por 2 a 1 no jogo de ida.

O Coxa poderia ter aberto o placar logo a um minuto. Eanes tabelou com Jackson e chutou forte, à direita de Cristiano Corrêa. Mas mesmo com o time do Alto da Glória criando oportunidades, o gol demoraria a sair. Egídio fez belo lançamento para Eanes, que dominou na área e colocou, no canto direito.

?Nossa equipe tem que melhorar, para conseguir fazer mais um?, avisava Eanes no intervalo, lembrando que o 1 a 0 levaria a decisão aos pênaltis. Mas Lio Evaristo, técnico adversário, mostrou que não queria arriscar as penalidades e sacou o volante Anderson para colocar o atacante Marcelo.

A mudança de Lio expôs o Jotinha. Jefferson perdeu chance clara logo no recomeço da partida. Mas a alteração deu resultado logo depois. Marcelo soltou uma bomba da entrada da área e venceu Arthur.

O empate não abalou o Coxa. Estevam trocou o lateral James pelo atacante Anderson Gomes. Na primeira participação, ele tabelou com Jackson, deixou a marcação na saudade e dividiu com o goleiro. Jefferson aproveitou o rebote e pôs o Cori em vantagem outra vez.

A jogada do terceiro gol alviverde teve a participação dos da casa. Jackson bateu falta na direita, a defesa cortou, mas a bola sobrou para Índio, que serviu a Henrique. A revelação coxa subiu mais que a zaga caçula e cabeceou certeiro.

Empolgado com a festa da torcida, o Coxa continuou atacando, até sacramentar a goleada. Eanes tocou para Anderson Gomes, que bateu cruzado marcando o quarto e eliminando a chance de reação do Jotinha.

O adversário Coxa nas semifinais será a Adap, algoz do rival Atlético. O primeiro confronto está marcado para o próximo domingo, no Couto Pereira. Mas antes, o Coxa terá que reverter outro resultado adverso: quarta-feira recebe o Náutico, com obrigação de vencer por três gols de diferença para seguir na Copa do Brasil.

Coxas agora têm que garantir vitória contra o Náutico

A goleada sobre o J. Malucelli e a classificação para as semifinais do Campeonato Paranaense tiraram o Coritiba do momento mais grave de sua crise. A avaliação é do técnico Estevam Soares, que após o jogo estava satisfeito não só com a boa atuação da equipe, mas com a personalidade mostrada pelos jogadores.

?As 48 horas que antecederam o jogo foram de caça às bruxas. Nós precisávamos dar uma resposta e ajudar quem estava na UTI, que era a entidade Coritiba. Tínhamos que jogar não por nós, mas pelo clube?, disse o treinador.

O técnico confessou que a conquista da vaga vai render uma ?recompensa? aos atletas. ?É hora de curtir, hora de comemorar. Vamos sair, quem quiser tomar um vinhozinho, uma cervejinha, é normal, tem que extravasar mesmo, mas com responsabilidade. Daqui a 72 horas nós temos a segunda decisão em quatro dias?, avisou Estevam.

O técnico se refere à partida contra o Náutico, na próxima quarta-feira, quando o Coxa tem que vencer por três gols de vantagem para seguir na Copa do Brasil. Para os jogadores, a confiança para vencer o desafio foi conquistada ontem. ?O jogo nos dá moral, nos dá confiança. O torcedor pode lotar o Couto Pereira. Vai ser difícil fazer três gols contra o Náutico, mas pode vir apoiar que essa equipe vai estar concentrada, buscando o resultado?, promete Arthur.

Estevam concorda com o goleiro. ?Esse doente, que eu falei antes, quando ressuscita, quando tira o algodãozinho do nariz, é muito perigoso?, diz o técnico, que conta mais uma vez com o apoio da torcida. ?Em vez de sete mil pessoas, como hoje (ontem) que venham 15, 20 mil, para nós sufocarmos o Náutico?, pede o comandante coxa-branca, que vai contar com o elenco completo na quarta-feira.

Trégua das arquibancadas só com a bola rolando

No dilema entre protestar e apoiar, a torcida coxa-branca conseguiu encontrar um meio-termo na tarde de ontem. Os mais de sete mil torcedores que foram ao Couto Pereira vibraram com a boa apresentação do Coritiba e ajudaram os jogadores a garantir a classificação nas semifinais do Campeonato Paranaense. Mas mesmo com a goleada, parte da galera não abriu mão dos protestos.

Antes de a bola rolar, as faixas das organizadas, estendidas de ponta-cabeça, mostravam que ninguém iria perdoar mais um tropeço em casa. Porém, a determinação mostrada pelo time alviverde contagiou as arquibancadas, que voltaram a ser o décimo segundo jogador do Coxa.

A situação quase se reverteu no final do primeiro tempo, quando o Cori diminuiu o ritmo e algumas vaias foram ensaiadas. Arthur percebeu e pediu paciência aos torcedores. ?Tem que ter calma. Durante o jogo é difícil você sofrer cobrança?, disse o goleiro após o jogo. A galera atendeu ao pedido e não se arrependeu. O Coxa deslanchou na segunda etapa, fazendo a festa do povo alviverde.

Mas os aplausos aos atletas ao final da partida não conseguiram abafar os gritos contra o presidente Giovani Gionédis. Com faixas e cartazes, o barulhendo grupo que se reúne junto ao fosso, próximo ao túnel dos vestiários coritibanos, voltou a pedir a saída do presidente coxa-branca.

CAMPEONATO PARANAENSE
Quartas-de-final jogo de volta
Local: Couto Pereira, em Curitiba
Horário: 15h40
Árbitro: Héber Roberto Lopes
Assistentes: Aparecido Donizeti Santana e Altemar Roberto Domingues

CORITIBA 4×1 J. MALUCELLI

Coritiba
Arthur; James, Henrique, Índio e Fabinho; Márcio Egídio, Rodrigo Mancha, Jackson e Guaru; Eanes e Jefferson. Técnico: Estevam Soares J.

Malucelli
Cristiano Corrêa; George, Paulo César, Réferson e Émerson; Anderson, Everton César, Willian e Elton; André Nunes e Cristiano. Técnico: Lio Evaristo