Walter Alves / O Estado do Paraná
Tuta e Aristizábal comemoram um dos
gols do Coxa na noite de ontem.

A 9.ª vitória – a 6.ª em casa – valeu ao Coritiba o ingresso no “Top Ten” do Brasileirão. Com solidez defensiva e praticidade, o time de Antônio Lopes assumiu a décima colocação ao bater o Fluminense (2×0), ontem à noite, no Couto Pereira. Pela primeira vez, o Alviverde consegue marcar dois gols jogando em seus domínios, justificando a opção de seu treinador, que arriscou uma postura mais ofensiva, recorrendo a três atacantes.

A fragilidade do futebol carioca torna-se mais evidente a cada rodada. O Fluminense, o melhor do Rio, permanece na 15.ª colocação. Repleto de “ex-atletas”, pouco – ou quase nenhum – perigo levou ao goleiro Fernando, que não precisou praticar uma defesa sequer. Enquanto Ramón e Edmundo “passeavam” no gramado, o Coritiba marcava com precisão e tinha na mobilidade dos meias Roberto Brum e Luís Carlos Capixaba a sua principal virtude.

O jogo, porém, teve etapas distintas. Na fase inicial -talvez pela má influência do “sonolento” Fluminense -, o Coritiba pouco usou as laterais do campo e o resultado foi traduzido na inoperância dos atacantes. Aristizábal e Alemão jogavam como pontas, mas a bola parava no trio de volantes do adversário e o tempo foi passando. As ações dos donos da casa se resumiam a arremates de fora da área, com Capixaba e Ataliba.

Quando a partida caminhava para seu intervalo sem emoção alguma, Capixaba desequilibrou. Ele roubou a bola no meio-de-campo, avançou e encontrou Aristizábal na área. O atacante entrou com decisão e bateu forte para vencer o goleiro Kléber. Seguindo para o vestiário em vantagem, o Coritiba corrigiu seu posicionamento ofensivo e retornou disposto a melhorar seu saldo de gols.

Logo no início do segundo tempo, Tuta definiu a vitória, escorando com precisão a boa jogada de Roberto Brum, pela direita. Não fosse o fraco desempenho de Alemão – que certamente fará Lopes repensar o esquema com três atacantes – e o Coritiba teria goleado. Dispersivo, concluiu muito mal as várias jogadas que foram criadas pelo lado esquerdo. Nada que atrapalhasse a vitória, pois do outro lado…

O Fluminense, em toda a partida, conseguiu uma jogada de “efeito”, com Júnior César. O lance é o melhor retrato do comportamento do adversário. Após passar por Flávio, o lateral rolou para Edmundo. O Animal, com lentidão, tentou o domínio. Ataliba não teve maiores dificuldades para “roubar” a bola e sair jogando. Apesar de todos os cuidados alardeados por Lopes, o Flu, num resumo do jogo, foi presa fácil para a aplicação do Coritiba, em visível ascensão e invicto há seis rodadas.

CAMPEONATO BRASILEIRO
25ª Rodada
Local: Couto Pereira (Curitiba).
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (FIFA-SC).
Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Claudemir Maffessoni (SC).
Renda: R$ 80.787,50.
Público: 7.888 (total).
Gols: Aristizábal a 42? do 1º tempo. Tuta a 4? do 2º tempo.
Cartões amarelos: Leonardo Moura (Flu). Miranda (Coritiba)

Coritiba 2×0 Fluminense

Coritiba
Fernando; Jucemar, Flávio, Alexandre (Miranda) e Ricardinho; Ataliba, Roberto Brum e Luís Carlos Capixaba; Aristizábal, Tuta (Pepo) e Alemão (Massai). Técnico: Antônio Lopes.

Fluminense
Kléber; Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Júnior César; Marcão (Maicon), Arouca (Esquerdinha), Marciel e Ramón; Alex (Alessandro) e Edmundo. Técnico: Alexandre Gama.