O Paraná Clube não é um time confiável. Isto é evidente, e não é de agora. Afinal, uma equipe que perde treze partidas e vence onze no Brasileiro da Série B não inspira muita confiança. Mas a falta de crença no time fica evidente em jogos como o de ontem, o empate com o Ipatinga. Quando começa razoavelmente bem, a equipe acha que é o Real Madrid, e exagera em lances banais.

O que irrita é que os mesmos jogadores (notadamente João Paulo e Rafinha, e Davi e Elvis quando estão em campo) são capazes de levarem o time a bons resultados – ontem, quando foi preciso, Rafinha foi objetivo e praticamente empatou sozinho a partida com o Tigre mineiro. Ao mesmo tempo, essa turma assoberbada rapidamente desaba em um lance.

Foi o que houve após o gol dos donos da casa, quando o Tricolor ficou perto de levar mais, e de ver as chances de vitória irem por água abaixo. Contra o Guarani, terça, certamente o Paraná estará mais “alerta’, porque é um jogo importante. Mas é impossível cravar uma grande atuação na Vila Capanema. Assim como é impossível prever outro fracasso. Não sabemos qual é o verdadeiro Tricolor.