Coritiba e Palmeiras se enfrentam hoje, às 21h, na Fonte Luminosa, em Araraquara-SP, pela 10.ª rodada do 2.º turno do Campeonato Brasileiro. O jogo que ganhou ares de decisão. Afinal, as duas equipes brigam diretamente contra o rebaixamento. Em 16.º lugar, com 32 pontos, o Coxa busca mais uma vitória para manter uma folga perante a zona de rebaixamento, ainda mais podendo abrir vantagem sobre um adversário que se encontra entre os quatro últimos. “Consideramos como uma final, mas infelizmente ali embaixo na tabela. Se nos ajudarmos, consequentemente pioramos a situação deles. Mas temos que nos preocupar apenas com a gente para sair o quanto antes daquela zona de risco”, diz o zagueiro Cleiton, que retorna à equipe após 16 meses sem jogar, devido a duas rupturas nos ligamentos do joelho direito.

Será uma nova decisão entre alviverdes. Em julho, os dois times disputaram o título da Copa do Brasil, que acabou nas mãos do Palmeiras. Sem falar na histórica goleada de 6 x 0 aplicada pelo Coxa no ano passado, também pela Copa do Brasil. “Coritiba e Palmeiras acabou se tornando um clássico, por conta dos 6 x 0 na Copa do Brasil no ano passado e pela final este ano. Agora temos esta decisão”, recordau Cleiton. “Estamos encarando como uma final, não pode ser diferente disso. Se a vitória acontecer, vamos abrir nove pontos deles e assim podemos afastar este fantasma logo”, completa o outro defensor do time hoje, Luccas Claro.

Dessa vez, o jogo não terá uma taça em disputa, mas o Coritiba tem a chance de uma “revanche”, que pode ter um sabor de vingança, uma vez que uma vitória pode jogar o clube paulista ainda mais para o fundo do poço, correndo o risco de ficar nove pontos atrás do 16.º colocado. “É um jogo extremamente importante, vai decidir muita coisa e fazer diferença no final do campeonato. Nosso objetivo é ganhar para afundar ainda mais o Palmeiras e poder deixá-los o mais longe possível”, acrescentou Luccas Claro.

O técnico Marquinhos Santos também reforçou a importância do duelo, mas rechaçou o clima de revanche e destacou que o objetivo alviverde em Araraquara será só um: voltar para casa com pontos na bagagem. “É mais uma batalha de dez que temos pela frente. Existe a motivação dos dois lados, mas temos que focar apenas no jogo que é muito importante e onde nós temos o objetivo de somar pontos”, avaliou o treinador.

Palmeiras

Se o Coritiba teve problemas para armar a defesa, uma vez que conta com cinco desfalques para o setor, o Palmeiras também não fica muito longe. Para o duelo contra o Coxa, o técnico Gilson Kleina não poderá contar com quatro titulares: o lateral-direito Artur, suspenso; o lateral-esquerdo Juninho e o meio-campo Valdívia, lesionados; e o atacante Barcos, que está servindo a seleção da Argentina. Além deles, o volante Marcos Assunção, com dores no joelho direito, não treinou ontem e ainda é dúvida. Assim, o treinador teve que recorrer a peças de reposição fora do convencional. Na lateral-direita, o volante Corrêa será improvisado, enquanto na esquerda Leandro fará sua reestreia pelo time palmeirense, após um ano e três meses sem jogar. No meio-campo, a tendência é que Tiago Real, revelado nas categorias de base do Coritiba, seja titular. Já o ataque deve ser formado por Maikon Leite e Obina.