Depois de confirmar o terceiro cartão amarelo para Rodrigo Heffner, que é reserva, o Coritiba pode perder hoje o lateral-esquerdo Triguinho, que é titular. Ele foi denunciado pela procuradoria do TJD através de imagens do clássico Atletiba, mas é baseado nessa prova mesmo que o clube pretende convencer os auditores da inocência do jogador alviverde.

“Vamos mostrar na própria imagem que o Triguinho não teve a intenção de machucar o jogador do Atlético”, diz Lucas Pedrozo, advogado do Coxa. Além disso, conta ainda o fato de o árbitro Heber Robert Lopes nem ter marcado falta.

Por isso, Pedrozo confia na liberação do atleta, que será julgado hoje. “Foi uma disputa de bola”, destaca. Para ele, a reclamação do Rubro-Negro foi normal. “É um direito que o Atlético tem pois parece que o atleta deles (Wallyson) se machucou”, avalia.

De qualquer forma, Triguinho corre o risco de pegar até seis jogos de suspensão caso seja considerado culpado. Ele está incurso no artigo 254 do CBJD (jogada violenta). De qualquer forma, o técnico Ney Franco deve trabalhar com o jogador hoje à tarde, mas deixa Luciano Amaral ou Denis de sobreaviso.

Assim, o treinador comanda o trabalho apronto à tarde e não deve fazer mistério e nem alterar a equipe para o clássico contra o Paraná. Ontem, por sinal, os titulares realizaram um coletivo contra juniores, enquanto os reservas fizeram um trabalho regenerativo no CT da Graciosa.

Enquanto isso, o departamento médico avisa que o volante Marcos Paulo já está vetado para as duas primeiras rodadas da segunda fase do Paranaense e será reavaliado na semana que vem. A programação foi definida apenas no final da tarde, já que a Federação Paranaense de Futebol demorou a homologar a rodada.