A segunda derrota seguida, desta vez para o Vitória, por 3×1, em Feira de Santana, e a permanência na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, fizeram a torcida do Coritiba perder de vez a paciência com o time. Nas redes sociais, um grupo de torcedores já se movimenta para protestar no duelo de domingo (7), contra a Ponte Preta, às 16h, no Estádio Couto Pereira.

Um grupo de torcedores, sem sucesso, tentou criar um evento no Facebook denominado de “Todos fora do Couto”, que sugere que a torcida coxa-branca vá ao estádio no domingo, mas não entre para acompanhar o duelo contra a Macaca. Essa iniciativa dividiu opiniões e não contou com grande adesão da massa verde e branca.

“No dia do jogo contra a Ponte Preta, vamos ficar do lado de fora! Chega de palhaçada”, era o texto que constava na descrição do evento. A iniciativa, porém, foi rebatida por diversos torcedores alviverdes, que acreditam que o momento atual do Verdão no Brasileirão é de união par ase afastar das últimas posições do Brasileirão.

“O cara é louco criar um evento desse. Na situação em que estamos se virar as costas é pior, cobrança é depois do jogo. Agora os 90 minutos temos que apoiar nosso time”, disse um dos torcedores contrários à manifestação iniciada nas redes sociais.

Dentro do clube, o pensamento só está em vencer a Ponte Preta para terminar o primeiro turno do Brasileirão fora da zona de rebaixamento. “Nós sabemos que a vitória é fundamental dentro dos nossos planos no Campeonato Brasileiro. Vamos trabalhar em cima desse aspecto, apesar de estar jogando em casa, sabemos que a Ponte Preta tem uma equipe equilibrada e com qualidade. Em casa, a imposição do jogo tem que ser nosso e nosso objetivo é a vitória, que vai dar muito mais tranquilidade para a nossa equipe”, concluiu o técnico Pachequinho.

Protesto

O clima entre torcida e time não é dos melhores. Na quinta-feira (4), quando a delegação do Coritiba desembarcou em Curitiba após a derrota por 3×1 para o Vitória, cerca de 30 torcedores, que aguardavam o time no Aeroporto Afonso Pena, protestaram contra o mau momento do clube. Com gritos de “Não é mole não, tem que ter raça para jogar no meu Verdão”, “Diretoria, presta atenção, eu quero time pra gritar é campeão” e “Acabou o caô, ou joga por amor ou joga por terror”, o protesto foi pacífico, mas contou com o suporte de nove policiais, para evitar qualquer tipo de desordem.