Novo técnico do Coritiba, Jorginho terá que superar o próprio retrospecto em outros times da Série A para evitar o risco de degola e conduzir o Coxa a uma vaga na Sul-Americana. O feito de levar um time a um torneio continental foi conquistado uma vez pelo profissional.

A busca pela participação na disputa internacional é uma das metas do time de acordo com o presidente Samir Namur. Mas o cenário atual é complicado.

O Alviverde está na lanterna do Brasileirão, com três pontos em cinco jogos. A estreia do comandante será no domingo (23), diante do Sport, às 16h, no Couto Pereira, pela sexta rodada.

Retrospecto de Jorginho em outros clubes da Série A

Em dez anos como treinador, Jorginho acumula nove passagens por clubes da Série A, considerando já o atual trabalho no Coritiba: Ceará e Vasco em 2018; Bahia, em 2017; Vasco, em 2015; Ponte Preta e Flamengo em 2013; Figueirense em 2011 e Goiás, em 2010 foram os trabalhos anteriores.

Com algumas passagens breves e trabalhos específicos em times que brigavam para não cair, a melhor campanha foi com o Figueirense, em 2011. A equipe catarinense fechou a participação na sétima colocação, brigando por vaga Libertadores até a última rodada.

Na ocasião, em 38 jogos, Jorginho somou 15 vitórias, 13 empates e dez derrotas. A campanha garantiu a vaga para a Sul-Americana do ano seguinte.

+ Jorginho revela que não renovou com o Coritiba por causa de dirigente

Por outro lado, o técnico soma dois rebaixamentos na carreira, o primeiro com a Ponte Preta, em 2013, e o segundo com o Vasco, em 2015. Em 2010, foi o comandante do Goiás, que também caiu, em boa parte da campanha.

Os demais trabalhos na Série A não deslancharam. No Flamengo, em quatro jogos do Brasileirão 2013, foram dois empates e duas derrotas, um dos piores inícios na história do clube na competição e uma demissão logo após a derrota por 1×0 para o Náutico, em junho.

Jorginho teve duas passagens pelo Vasco na elite. Em 2015, quase livrou o Vasco do rebaixamento. Em 2018, ficou pouco tempo. Foto: Paulo Fernandes/Vasco

No Bahia, em 2017, foram 14 jogos, quatro vitórias, quatro empates e seis derrotas, somando cinco partidas sem vencer e que resultaram na demissão do treinador.

Em 2018, Jorginho teve uma passagem relâmpago pelo Ceará, com três jogos, três derrotas e o pedido do próprio treinador para sair. No mesmo ano, no Vasco, após sete jogos pelo Brasileirão, com duas vitórias, quatro derrotas e um empate, foi demitido.

Apesar de início ruim, Coritiba mira calendário internacional

Ainda que o Coxa precise, em um primeiro momento, brigar para sair da zona de rebaixamento, os objetivos do clube são maiores.

“A expectativa é deixar o Coritiba bem longe da zona de rebaixamento e, se possível, com calendário internacional” disse o presidente na noite de terça-feira (25), em coletiva.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Na mesma entrevista, Jorginho ressaltou que o elenco alviverde esta à altura do desafio. “Eu acredito sinceramente que vamos surpreender ao final do campeonato”, destacou.

Apesar de não ter conquistado feitos expressivos na Série A, Jorginho tem em seu currículo dois acessos – com o Vasco, em 2015, e com o próprio Coritiba, em 2019 – e uma final de Sul-Americana em 2013, com a Ponte Preta. Na ocasião, a Macaca perdeu o título para o Lanús, da Argentina.

+ Mais do Coxa:

+ Atletiba tem horário alterado e será transmitido
+ Marca do Coritiba em lojas oficiais vira alvo de polêmica com o Inter
+ Samir Namur fala de salários atrasados e garante reforços


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?