O presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, perdeu a linha ontem após a derrota do seu clube para o Botafogo. Não com o time, a quem ele disse que não reprova, mas pela atitude da torcida. A maior reclamação foi por conta de alguns alviverdes que teriam ofendido a mulher de um jogador nas arquibancadas.

O dirigente aproveitou e mandou recado. “Esta torcida imbecil fica xingando o jogador. Se quiser vir falar comigo venha pessoalmente. Não admito que determinados torcedores extravasem contra jogadores. Aqui quem manda sou eu. Podem tirar o cavalinho da chuva, que quem manda sou eu. Não admito que torcedor xingue esposa de jogador do meu lado. É um desaforo, desrespeito e não aceito”, esbravejou Vilson.

Durante as declarações, o presidente deixou subentendido que ninguém mexerá com Marcelo Oliveira, que segue no comando da equipe. “De fora para dentro, ninguém manda aqui. Quem manda aqui é de dentro para fora. Quem não quiser que me tire daqui. Enquanto eu for presidente, sou eu quem mando”, disse Vilson.

Quanto a contratações, o presidente não quer nem ouvir falar em centroavante. Para ele, o ataque do Coritiba está respondendo bem ao que lhe é cobrado.  “Matador é só o John Wayne. Um time que mete quatro na Copa do Brasil, agora precisa de matador? Me desculpe. Estou muito satisfeito”, justificou.