Sem a liberação em tempo hábil do Couto Pereira, o estádio Caranguejão, em Paranaguá, foi o palco do clássico entre Coritiba e Paraná Clube, realizado neste domingo (21), em jogo válido pela nova rodada do Paranaense.

As duas equipes entraram em campo em condições opostas, mas ambas precisando vencer. Para o Coritiba, a vitória significava a classificação matemática para a próxima fase. Já o Paraná Clube precisava vencer para voltar a brigar por uma vaga no grupo dos oito times que avançam à próxima fase do campeonato.

No Coritiba, as novidades foram as entradas de Dirceu e Rafinha no meio e Ariel, no ataque. Já o Paraná Clube, bastante desfalcado, foi escalado no 3-5-2 com Jefferson e Diego Correia nas alas.

Disposição foi a palavra que definiu o primeiro tempo no clássico. Mesmo com o forte calor em Paranaguá, as equipes mostraram muita vontade. Contudo, ainda que com boa movimentação, foram criadas poucas chances de gol e os times exageraram nas bolas levantadas na área. Ainda assim, mesmo sem ser brilhante, o Paraná Clube foi um pouco melhor tecnicamente falando.

No intervalo de jogo, o técnico alviverde Ney Franco mudou a equipe promovendo a entrada de Demerson no lugar de Dirceu. Marcelo Oliveira não quis mexer na equipe paranista. Com três minutos de jogo, o Coxa mudou novamente com a entrada de Renatinho no lugar de Enrico.

Se no primeiro tempo, o Paraná Clube foi um pouco melhor, o início do segundo tempo foi favorável ao Coritiba que buscava envolver o time tricolor com toques rápidos de Marcos Aurélio, Rafinha e Renatinho.

Ao perceber que o time paranista perdia o meio-campo, Marcelo Oliveira mexeu pela primeira vez na equipe, com a entrada de Everton no lugar de Elvis. A mudança não alterou a dinâmica do jogo, que seguia com o Coritiba pressionando, mas com se diz em clássico quem erra menos vence.

E foi aos 24 minutos de jogo que aconteceu o único gol da partida. Lançamento de Diego Correia, a zaga alviverde tentou fazer a linha de impedimento a falhou.

Márcio Diogo recebeu, matou a bola no peito, deixou o zagueiro alviverde sentado e, com categoria, deslocou o goleiro Edson Bastos. Um golaço do Paraná Clube. Depois do gol, o tricolor se posicionou na defesa e tratou de anular as investidas do Coritiba, que já não tinha mais articulação de jogadas e tentava o empate na base do desespero.

Final de jogo e o Paraná Clube, além de quebrar a invencibilidade do Coritiba, espantou a crise que rondava a Vila Capanema. Na próxima rodada, o tricolor encara o Cascavel em casa; já o alviverde tem pela frente o Nacional, no Alto da Glória.