Com a semana livre, o técnico Marcelo Oliveira estuda novas formas de o Coritiba atuar, sem ficar tão preso ao mesmo esquema, que vem emperrando e causando revolta na torcida. “Quero aproveitar essa semana para criar, com os jogadores que vão estar à disposição, um modelo de time que seja equilibrado, que seja mais consistente, que possa chegar sem tanto sofrimento ao gol do adversário”, avisa o treinador alviverde.

No domingo, o Coxa enfrenta o Iraty pelo Campeonato Paranaense, mas também já pensa no Nacional-AM pela Copa do Brasil. Assim, depois do descanso e dos trabalhos físicos, o Coritiba volta a bater na bola para corrigir os erros, principalmente os apresentados nas partidas contra Toledo e Corinthians. “O início da semana foi de trabalho físico mais forte. A partir daí, haverá trabalhos técnicos de finalização e de contra-ataques. Ficou bem claro no jogo contra o Corinthians que um contra-ataque poderia ter gerado o terceiro gol e dar uma tranquilidade maior. Mas nós erramos”, lamenta Marcelo.

O treinador tem mostrado preocupação com o segundo tempo da equipe, onde ocorre queda de produtividade e desorganização tática. “Precisamos buscar um equilíbrio maior do time, além de uma marcação mais forte. Temos consciência que, principalmente nos dois últimos jogos, o segundo tempo foi muito ruim. Só podemos inverter isso através do trabalho”, adverte Marcelo Oliveira, mesmo com o time mantendo-se com 100% de aproveitamento no segundo turno do Estadual.

De qualquer forma, o descanso no meio de semana também serviu para baixar a poeira das reclamações dos torcedores, que querem um time mais vistoso em campo. “Por um lado, pode se pensar em descanso no sentido da pressão do jogo. Por outro lado, é para trabalhar mais”, finaliza o treinador.

Na equipe, ele terá o retorno do meio-campo Rafinha, após suspensão automática, e ainda espera pela regularização da papelada do atacante Roberto.